Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de setembro de 2017. Atualizado às 11h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 22/09 às 11h18min

Bovespa abre em queda em dia de aversão a risco no exterior

A Bovespa abriu em queda nesta sexta-feira (22) dando continuidade às perdas da quinta-feira (21). As ações da Petrobras e da Vale recuam em linha com as perdas do petróleo e do minério de ferro, respectivamente. Às 10h25min, o Ibovespa recuava 0,52% aos 75.212 pontos. Na mínima, marcara 75.133 pontos (-0,62%) pouco antes.
Em Nova Iorque, Dow Jones, S&P500 e Nasdaq acabaram de iniciar os negócios e sob sinal negativo.
O que pesa, no exterior e no mercado doméstico, são os últimos desdobramentos da Coreia do Norte. O aumento da tensão geopolítica favorece ativos considerados mais seguros nos negócios da manhã, como os Treasuries, o iene e o ouro.
Na quinta, Pyongyang ameaçou realizar um teste nuclear de proporções inéditas no Oceano Pacífico. Além disso, os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Coreia do Norte, Kim Jong-un, trocaram insultos de quinta para esta sexta. "Ele é louco", disse Kim, referindo-se a Trump.
A tensão geopolítica afeta desde cedo os índices futuros de Nova Iorque, sendo que o mercado à vista tende a seguir o comportamento e abrir em queda. Na Europa, as bolsas desaceleraram os ganhos de mais cedo, sendo que o DAX, em Frankfurt, passou a cair.
O deputado JHC (PSB-AL) tentou dar início à sessão do plenário da Câmara na manhã desta sexta, mas não conseguiu por falta de quórum. Com isso, a leitura da segunda denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, feita pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, ficará para as 14 horas da segunda-feira (25).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia