Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de setembro de 2017. Atualizado às 14h17.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 18/09 às 14h19min

Bolsa quebra recorde e chega a 76 mil pontos

Estímulo veio do cenário internacional, onde bolsas também registram ganhos

Estímulo veio do cenário internacional, onde bolsas também registram ganhos


J. DURAN MACHFEE/FUTURA PRESS/ARQUIVO/JC
A Bolsa testou na manhã desta segunda-feira (18) novo patamar, dos 76 mil pontos, sustentada pelo apetite firme dos investidores e contrariando a previsão de uma primeira etapa sem grandes variações em razão do vencimento de opções sobre ações. Trata-se de nova marca histórica, embora o fôlego tenha diminuído ao fim da manhã.
O estímulo positivo para o índice veio do cenário internacional, onde as bolsas registram ganhos, amparadas pela expectativa de manutenção dos juros nos Estados Unidos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na reunião desta semana, a despeito da chance de anúncio do início da redução do balanço da instituição.
No câmbio, a direção também é dada pelo exterior. O dólar sobe ante o real, refletindo os ganhos da moeda ante emergentes e ligadas a commodities no mercado internacional. Em resposta à desvalorização mais acentuada do petróleo, que perde ao redor de 1%, chegou a superar R$ 3,13, na máxima.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia