Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 17 de setembro de 2017. Atualizado às 22h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

CONSUMO

Notícia da edição impressa de 18/09/2017. Alterada em 17/09 às 21h46min

Cartões de loja são nova aposta do varejo

Schmaedecke, da Confraria Masculina, pretende aderir ao modelo

Schmaedecke, da Confraria Masculina, pretende aderir ao modelo


/ JONATHAN HECKLER/JC
Adriana Lampert
Enquanto o crédito se restringe nas instituições financeiras e administradoras de cartões, onde o limite impede a adesão de clientes de menor renda, o mercado cria soluções para os lojistas. Com a implementação de sistemas de private label (cartão de loja), em parceria com entidades do setor, as pequenas empresas gaúchas esperam faturar 20% mais neste ano. No início deste mês, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre lançou, em parceria com a WayUp Brasil, o Cartão Fidelidade & Crédito CDL POA, que permite que cada um dos comerciantes locais tenha o seu programa de fidelidade, a partir de crédito próprio da loja.
O gestor comercial da CDL Porto Alegre, Paulo Borba, informa que atualmente o sistema está em fase de estudo das bases, e o processo de confecção dos cartões, em andamento. "Há um grande interesse, com cerca de 40 empresas (maioria do segmento de calçados e vestuário, além de alguns supermercados de porte médio) solicitando informações", diz Borba. Segundo ele, a maior parte da demanda é do interior do Estado. Na Capital, uma das lojas que devem aderir é a Confraria Masculina. Segundo o proprietário, Carlos Schmaedecke, a principal vantagem é ter um controle dos dados do seu cliente. "Desta forma fica mais fácil oferecer descontos - além disso, o sistema tem toda uma estrutura para avaliação de crédito."
Schmaedecke também considera uma "ótima estratégia de fidelização". "O que se percebe é que os cartões de loja servem para o cliente como um crédito adicional, porque todos os bancos diminuíram muito e restringiram bastante, então é um crédito a mais." Enquanto os lojistas estudam a adesão, um projeto-piloto já está sendo realizado por uma "grande rede gaúcha", informa o gestor comercial da CDL Porto Alegre, sem revelar o nome da loja.
Borba explica que a entidade pretende proporcionar, principalmente aos pequenos empresários do comércio, a personalização integral do cartão da loja, o que permite que cada empresa tenha - além do seu programa de fidelidade - também um instrumento próprio de crédito, com possibilidade de parcelamentos, facilitando a vida de consumidores que não têm como buscar financiamento em instituições financeiras.
"Em cima do novo momento (de crise econômica), em alguns casos, no grande varejo, o cartão próprio chega a representar 47% a 50% das vendas, isso é um espaço gigante", avalia o gestor da CDL Porto Alegre. Segundo ele, no caso de empresas menores, o faturamento com cartão chega a 28%. "Isso está crescendo, principalmente para empresas localizadas no interior do Estado, que começam a internar o processo da oferta de crédito", informa. No caso do cartão de loja oferecido pela CDL, o lojista possui autonomia para definir as condições de pagamento e para liberação do crédito.
Pesquisa recente realizada pela entidade aponta que o pagamento a prazo, com cartão da loja, tem apresentado um crescimento expressivo na preferência dos consumidores gaúchos. O pagamento a prazo e em cartão apareceu em 11,2% da preferência dos entrevistados. No ano anterior, o mesmo levantamento demonstrou que apenas 1% dos clientes confirmaram interesse em usar esta forma de pagamento para efetuar suas compras.
"Percebemos que o crédito de loja tem forte apelo nas pequenas, médias e grandes empresas, com representatividade significativa dentro do faturamento", destaca o gestor da CDL Porto Alegre. "Se o lojista trabalhar somente com cartões embandeirados, além de não ficar com as informações dos clientes, perde de receber taxas, como juros por atraso, que ficam com a operadora do cartão." Por meio das soluções e ferramentas de análise e concessão de crédito da CDL Porto Alegre, a WayUp Brasil será responsável pela automação da operação. "Futuramente, temos planos de oferecer aos lojistas a possibilidade de extensão de uso do seu cartão a estabelecimentos seletivamente credenciados", comenta Claudio Burtet, sócio e administrador da WayUp. Ele garante que tecnicamente e operacionalmente, a empresa já está apta para isso.

CDL Porto Alegre dará isenção de taxas de administração aos lojistas participantes

Os lojistas que aderirem ao cartão próprio oferecido pela CDL Porto Alegre estarão isentos de taxas de administração que os cartões tradicionalmente cobram. "Como o cartão será da loja, seu custo sairá mais barato para o empresário", explica o sócio e administrador da WayUp Brasil, Claudio Burtet. "Além disso, cada loja saberá efetivamente quem são os seus clientes, pois vai contar com uma plataforma de CRM, para segmentar a base dos consumidores pela frequência, recência e valor das compras", detalha. Também os dados sociodemográficos da base de clientes deverão ajudar no desenvolvimento de campanhas promocionais "muito mais assertivas, gerando maior satisfação junto aos públicos e maior retorno de vendas", diz Burtet.
"O único custo será o da confecção do cartão e do status da operação, que depende do tamanho da empresa e da base de cartões que vai se trabalhar", explica o gestor Comercial da CDL Porto Alegre, Paulo Borba.
"É um sistema que substitui com vantagens os cartões de terceiros, boletos e o crediário tradicional, pois o varejista pode agora contar com uma solução de processamento confiável, completa e automatizada, até então restritas às grandes redes", comenta o administrador da WayUp Brasil. "É uma excelente solução de relacionamento, com processos automatizados que, certamente, irão contribuir para o incremento de vendas, e que fortalece a marca das empresas, mantendo sua autonomia nas definições relativas à operação", avalia Borba. A bandeira será WayCard (específica para o varejo), mas o cartão é da loja e levará a marca do lojista em destaque.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia