Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 22h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 11/09 às 21h33min

Receita quer reaver R$ 22,7 bilhões de 500 mil empresas

A Receita Federal vai notificar 556,1 mil devedores optantes do Simples Nacional dos seus débitos previdenciários e não previdenciários com o Fisco. Quem não regularizar sua situação será excluído do programa a partir de janeiro de 2018. Os devedores que serão notificados respondem por dívidas que somam R$ 22,7 bilhões, de acordo com o Fisco.
Segundo o órgão, os atos declaratórios com as notificações serão disponibilizados nesta terça (12) no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN) - o prazo máximo para realizar essa consulta é 45 dias a partir de amanhã.
A partir da data em que o contribuinte tomar ciência do Ato Declaratório Executivo (ADE), terá 30 dias para regularizar sua situação. O ADE de exclusão pode ser acesso pelo portal do Simples Nacional na internet ou pelo Atendimento Virtual (e-CAC), no site da Receita Federal, mediante certificado digital ou código de acesso.
"A pessoa jurídica que regularizar a totalidade dos débitos dentro desse prazo terá a sua exclusão do Simples Nacional automaticamente tornada sem efeito, ou seja, a pessoa jurídica continuará no Simples Nacional, não havendo necessidade de comparecer às unidades da RFB para adotar qualquer procedimento adicional", diz a Receita.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Receita quer reaver R$ 22,7 bilhões de 500 mil empresas - Jornal do Comércio
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 22h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 11/09 às 21h33min

Receita quer reaver R$ 22,7 bilhões de 500 mil empresas

A Receita Federal vai notificar 556,1 mil devedores optantes do Simples Nacional dos seus débitos previdenciários e não previdenciários com o Fisco. Quem não regularizar sua situação será excluído do programa a partir de janeiro de 2018. Os devedores que serão notificados respondem por dívidas que somam R$ 22,7 bilhões, de acordo com o Fisco.
Segundo o órgão, os atos declaratórios com as notificações serão disponibilizados nesta terça (12) no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN) - o prazo máximo para realizar essa consulta é 45 dias a partir de amanhã.
A partir da data em que o contribuinte tomar ciência do Ato Declaratório Executivo (ADE), terá 30 dias para regularizar sua situação. O ADE de exclusão pode ser acesso pelo portal do Simples Nacional na internet ou pelo Atendimento Virtual (e-CAC), no site da Receita Federal, mediante certificado digital ou código de acesso.
"A pessoa jurídica que regularizar a totalidade dos débitos dentro desse prazo terá a sua exclusão do Simples Nacional automaticamente tornada sem efeito, ou seja, a pessoa jurídica continuará no Simples Nacional, não havendo necessidade de comparecer às unidades da RFB para adotar qualquer procedimento adicional", diz a Receita.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia