Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 19h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

NEGÓCIOS CORPORATIVOS

Notícia da edição impressa de 08/09/2017. Alterada em 07/09 às 22h17min

Ternium conclui aquisição da siderúrgica CSA

A Ternium, maior produtora de aço da América Latina e sócia da Usiminas, concluiu nesta quinta-feira a aquisição da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) da alemã Thyssenkrupp. Com o fechamento da transação de € 1,4 bilhão, anunciada em fevereiro deste ano, a CSA muda de nome, passando a se chamar Ternium Brasil. Marcelo Chara, antes diretor industrial da Ternium Argentina, assume a presidência da empresa. Os demais executivos e funcionários serão mantidos.
Chara foi um dos executivos da Ternium destituídos da Usiminas há três anos, momento em que se tornou pública a briga societária na siderúrgica mineira, que se arrasta até hoje. Agora, a Ternium amplia sua atuação no Brasil. Para financiar essa aquisição, a empresa fez um empréstimo com um sindicato de bancos por um prazo de cinco anos em um montante principal de US$ 1,5 bilhão.
No contrato fechado, a Thyssen cedeu à Ternium um acordo de fornecimento de 2 milhões de toneladas de placas por ano produzidas na usina da CSA no Brasil para a Calvert, antiga planta de laminação da Thyssenkrupp no Alabama, Estados Unidos.
A Ternium já havia tentado comprar a operação da Thyssen, localizada no Rio de Janeiro. Há alguns anos, o grupo alemão havia colocado à venda a CSA juntamente com sua laminadora de aço nos Estados Unidos, mas acabou vendendo essa unidade em separado. A Ternium possui déficit de placas no México.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia