Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 19h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

06/09/2017 - 13h26min. Alterada em 06/09 às 13h35min

Jucá defende aprovação de reforma da Previdência 'possível'

O presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR), defendeu nesta quarta-feira, 6, a aprovação de uma reforma da Previdência "possível". Para ele, a reforma possível deve alterar pontos como privilégios do funcionalismo público e elevação da idade mínima para aposentadoria.
"Temos que voltar ao debate e aprovar a reforma possível", afirmou o peemedebista em entrevista à imprensa, após evento de filiação do senador Fernando Bezerra (PE) ao PMDB. Na avaliação dele, a mudança na idade mínima e o fim dos privilégios são "mecanismos tranquilos" de serem aprovados pelo Congresso.
Jucá reconheceu que houve "equívoco" e "manipulação" por parte do governo no processo de comunicação sobre a reforma da Previdência durante a discussão da proposta na comissão especial da Câmara. "O que houve foi muita manipulação e equívoco do governo", afirmou o senador.
O presidente do PMDB defendeu, porém, a proposta do governo. "Nenhum país está fazendo uma reforma da Previdência suave como o governo brasileiro", disse. "Se fosse candidato a presidente, estaria rezando para esse governo fazer a transição e aprovar a reforma da Previdência", acrescentou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia