Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de setembro de 2017. Atualizado às 21h25.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

tevê

Notícia da edição impressa de 29/09/2017. Alterada em 28/09 às 18h22min

Documentário de Leandra Leal reúne divas da Cinelândia

Documentário conta história do primeiro grupo de artistas travestis do Brasil

Documentário conta história do primeiro grupo de artistas travestis do Brasil


VITRINE FILMES/VITRINE FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
  • Dirigido por Leandra Leal, o documentário Divinas divas acompanha o reencontro das artistas Rogéria, Valéria, Jane Di Castro, Camille K, Fujika de Holliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios, para a montagem do espetáculo que dá nome ao filme. O grupo, formado na década de 1970, foi a primeira geração de artistas travestis do Brasil e testemunhou o auge de uma Cinelândia, região do Rio de Janeiro, repleta de cinemas e teatros. O longa traz para cena as histórias e memórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época. Primeiro trabalho de Leandra Leal como diretora, Divinas divas já recebeu os prêmios de Melhor Documentário no Festival do Rio 2016, Melhor Filme pelo Júri Popular e Melhor Direção no 11º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Domingo, às 18h, no Canal Brasil.
  • No drama Tudo que aprendemos juntos, Laerte é um violinista que vai dar aulas numa escola da periferia paulistana. O talento de um aluno chama sua atenção, e ele decide ajudá-lo a desenvolver suas habilidades musicais. Com a violência que os cerca, o desafio será muito mais difícil, e Laerte ainda tem seu sonho para realizar. Estrelado por Lázaro Ramos, sexta-feira, às 20h, no Telecine Touch.
  • Sexta-feira, às 23h30min, estreia no FX a segunda temporada de O exorcista. A série é inspirada no clássico de 1973 e traz Tomás Ortega como um padre progressista, que coordena uma pequena paroquia no subúrbio de Chicago. Já o padre Marcus Keane  trabalha num dos bairros mais pobres da Cidade do México e é obcecado por sua missão religiosa. Ambos se encontram quando precisam lidar com o caso de possessão demoníaca.
  • No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts, sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. As sufragistas, sábado, às 20h, no Telecine Touch.
  • Para quem gostou de Making a murderer e The Keepers da Netflix, está disponível no serviço de streaming a série documental sobre crimes The confession tapes. A produção traz sete episódios com seis histórias de pessoas condenadas por homicídio que afirmam que suas confissões foram coagidas, involuntárias ou falsas. Depoimentos dos réus, de seus amigos, advogados de defesas, jurados, juízes, promotores e policiais ajudam a compor a narrativa.
  • Neste domingo, às 22h, estreia na HBO a produção brasileira A vida secreta dos casais. Criada por Bruna Lombardi e Kim Riccelli, que também assina a direção com Carlos Alberto Riccelli, a série tem como enfoque a sexóloga e terapeuta Sofia Prado, interpretada por Bruna. Com uma carreira bem-sucedida e diretora do Instituto Tantra, um centro de terapias alternativas para casais, ninguém desconfia que ela sofre de um transtorno emocional. Filmada em diferentes locações de São Paulo, a produção tem 12 episódios com uma hora de duração cada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia