Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de setembro de 2017. Atualizado às 11h52.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Dom Jaime Spengler

A voz do Pastor

Notícia da edição impressa de 21/09/2017. Alterada em 20/09 às 21h28min

Virtude

"Na época em que a vida na terra era plena, ninguém dava nenhuma atenção aos homens dignos, nem selecionavam os homens capazes. Os soberanos eram apenas os galhos mais altos das árvores, e o povo era como cervos na floresta. Eram honestos e corretos, sem imaginar que 'estavam cumprindo com o seu dever'. Amavam-se mutuamente, e não sabiam que isto se chamava 'amor ao próximo'. Não enganavam a ninguém, e, no entanto, não sabiam ser 'homens de confiança'. Podia-se contar com eles, e ignoravam que isto fosse 'a boa fé'. Viviam juntos livremente, dando e recebendo, e não sabiam que eram homens de bom coração. Por este motivo, seus feitos não foram narrados. Não se constituíam em historiografia" (Chunag-tse).
O texto citado é um poema proveniente da cultura asiática antiga. Ele pode ilustrar o quão distante nos encontramos do ideal humano de virtude.
Opiniões marcadas por estranhas ideologias produzem um esteticismo sem abertura para um compromisso ético. Tal situação se expressa em atitudes marcadas por empáfia do saber e do poder, vaidade exacerbada, rigorismo disciplinar, moralismo radical que camufla um orgulho desmedido, demonstrações de um pseudossaber que, na verdade, demonstram incapacidade de diálogo, criatividade e disposição para ir ao encontro do outro. Nesse contexto, não há lugar para a generosidade, a gratuidade, a disposição para construir uma sociedade na qual a economia esteja verdadeiramente a serviço da vida, que a promoção da paz e da justiça seja tarefa comum, e a defesa da Mãe Terra, compromisso de todos.
O poema citado aponta para uma dimensão do humano que podemos denominar grande, profunda, livre, autêntica. Os antigos gregos chamavam esse modo de ser originariamente grande, profundo e livre de "virtude", ou seja, "coragem de ser".
Há uma questão a ser discutida: como promover o surgir, crescer e perfazer-se num modo de ser, marcado por virtude, sem recorrer à propaganda ou ao marketing tão presente em algumas expressões sociais, e sem cair, ao mesmo tempo, em um criticismo mesquinho e liberalista?
No ocidente, virtude se refere à essência do ser humano, ao seu modo próprio e específico enquanto vigor e vitalidade do tornar-se capaz da liberdade, e que se consuma como exercício da inteligência e da vontade. Vigor da inteligência e da vontade é a mesma coisa, são dois momentos de uma única vigência que no cristianismo recebeu o nome de "amar".
Ninguém nasce bom; ninguém nasce simples, puro, sábio. É algo que se conquista ao longo da vida. Ser bom, justo, sábio requer muito trabalho; trabalho intenso, disciplinado e dedicado.
Virtude tem relação com equilíbrio, sensibilidade, delicadeza, que têm a ver com inteligência. Inteligência que não é sinônimo de informações acumuladas. Inteligência compreendida com perspicácia, sensibilidade, serenidade, cordialidade, disposição e empenho em cooperar responsavelmente na tarefa de tornar sempre mais habitável a "terra dos homens". Alguém que assim se empenha no desenvolvimento da virtude é bom, útil, firme, bem disposto para a tarefa de fazer da "terra dos homens" uma terra verdadeiramente sem males.
Todos nós desejamos colaborar na construção de uma sociedade melhor para as futuras gerações. Para tanto, urge compreender sempre mais e melhor esse modo de ser próprio do ser humano, isto é, ser virtuoso. Sem o cultivo decidido de virtudes autenticamente humanas, as desigualdades sociais crescem, os sectarismos se desenvolvem, os conflitos se multiplicam, o ser humano se diminui na sua identidade e a tragédia se manifesta no horizonte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 21/09/2017 13h51min
A NOSSA ABENÇOADA, VIRTUOSA E PACIENTE PORTA DE CADA DIA !!!n nEsta palavra PORTA de cinco letras, dissílaba, vive entre nós dentro do seu jeito simples de ser e sem reclamar de nada. Ela permite que possamos passar de um lado para o outro conforme a nossa vontade, necessidade e merecimento. É encontrada dentro do nosso coração, em nosso lar, na Igreja, no ambiente de trabalho, automóveis, etc... Até considero que a capa da Bíblia, livros diversos, jornais, revistas, algum aplicativo periférico, sejam uma porta infinita para chegada de novas informações. Coitada da PORTA que se fecha através da violência do ser humano que descarrega a sua raiva quando bate ela. Acredito que toda a vez que ouvimos o estouro ou som da batida de uma PORTA, penso que seja o seu grito de dor. Que culpa a PORTA tem de não ser conservada, cuidada para não sofrer e pagar pelos nossos erros? Assim é a vida de uma PORTA que não pediu para fazer parte da nossa vida. Simplesmente está presente em nosso cotidiano, pela a nossa necessidade de abri-la e fechá-la do nosso jeito. Uma PORTA sozinha, não vai a lugar algum. Com certeza, ela poderá bloquear a nossa vontade de ir mais longe caso não entendermos que precisamos estar preparados até mesmo para fazer esta passagem para o outro lado. Caso não estejamos prontos para colocarmos a nossa mão na maçaneta, poderemos abrir a PORTA errada, ser atropelado, cair num abismo sem fim e escuro. Que cada um de nós possa cuidar das nossas virtudes para poder cuidar das nossas diversificadas PORTAS com mais gratidão, fé, amor, carinho e respeito. A PORTA fechada transmite um mistério, curiosidade que nos provoca para saber por que ela está fechada e o que poderá ter do outro lado. O mês de Setembro nem bateu, entrou correndo com muitas chuvas, trovoadas na nossa PORTA, fazendo um estrago anormal, tomara que parta logo, e venha um novo ânimo e alegrias no vácuo para todas as famílias. Sejamos humildes e felizes para abrir cada vez mais muitas PORTAS, ter grandes descobertas que sempre poderão estar do outro lado com novos desafios e vitórias. Que a PORTA da MARAVILHOSA PRIMAVERA seja aberta com calma, paciência e seja muito mais florida, bonita, para perfumar os nossos dias e acalmar os ânimos do nosso povo. Graças a Deus e Jesus Cristo eu abri a PORTA do meu CORAÇÃO para vossos abençoados ensinamentos, Amém !!! Abs. Dorian Bueno Google+Plus, POA - 21.09.2017 n nn