Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de setembro de 2017. Atualizado às 23h45.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Lançamento

Notícia da edição impressa de 29/09/2017. Alterada em 28/09 às 20h06min

Volkswagen coloca Novo Polo em patamar superior

Custo de reparo do veículo deverá ser um dos menores do mercado

Custo de reparo do veículo deverá ser um dos menores do mercado


VOLKSWAGEN/DIVULGAÇÃO/JC
Construído sob a Estratégia Modular MQB, o modelo está sendo lançado no Brasil de forma praticamente simultânea com a Alemanha. Para produzi-lo, a Volkswagen investiu R$ 2,6 bilhões no seu desenvolvimento e na modernização da planta de Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP). O valor inclui ainda a produção do sedã Virtus, programado para estrear no primeiro trimestre de 2018.
O Novo Polo começará a ser vendido apenas em novembro nas concessionárias da marca, em quatro versões: 1.0, MSI 1.6, Comfortline 200 TSI 1.0 e Highline 200 TSI 1.0. O modelo tem garantia total de três anos, sem limite de quilometragem.
De proporções dinâmicas, o veículo exibe silhueta bem mais alongada, pois a distância entre-eixos (2.565 milímetros), o comprimento externo (4.057 mm) e a largura (1.751 mm) cresceram - a altura (1.468 mm) diminuiu um pouco. Em relação ao modelo anterior, o Novo Polo ficou 167 mm mais longo, 100 mm mais largo, com entre-eixos 100 mm maior e altura 21 mm menor.
Graças à maior distância entre-eixos, foi possível deslocar as rodas mais para as extremidades da carroceria e, consequentemente, encurtar os balanços, o que confere ao automóvel uma aparência bem mais esportiva.
A Volkswagen resolveu dar um "toque verde-amarelo" ao seu novo hatch: o design dianteiro foi alterado exclusivamente para agradar ao gosto dos brasileiros, mediante pesquisas. Destaque para o vinco que margeia a entrada de ar e corta o espaço entre o conjunto ótico principal e os faróis de neblina.
A entrada de ar frontal inferior maior do que no modelo europeu surge como outro diferencial do Novo Polo. O para-choque foi desenhado para realçar a largura do veículo, e o capô ostenta contornos mais pronunciados.
O hatch introduz um novo padrão de design interno e de layout de painel para os modelos compactos da Volkswagen. A premissa foi expandir a digitalização dos mostradores e controles, assim como a conectividade.
Os projetistas abandonaram completamente a arquitetura vertical do painel das outras gerações do Polo, apostando na horizontalidade. Todos os módulos principais - exceto os do ar-condicionado - foram integrados à parte superior.
No meio dessa "ilha" fica a tela do sistema de infoentretenimento. À esquerda, em frente ao condutor, brilha o cockpit digital, o quadro de instrumento high-tech do Novo Polo, que é opcional.
O espaço na cabine é outro ponto positivo, com áreas generosas para pernas e braços dos ocupantes. O acesso ao interior é facilitado pelo amplo ângulo de abertura das portas, que, no caso das dianteiras, têm três estágios. O porta-malas pode ter seus 300 litros de capacidade normal elevados para 1.071 litros com o rebatimento do encosto do banco traseiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia