Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de agosto de 2017. Atualizado às 22h57.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 25/08/2017. Alterada em 24/08 às 21h35min

Servidores fazem mobilização no Centro de Porto Alegre

Protesto ocorreu em  frente à prefeitura contra projetos de Marchezan

Protesto ocorreu em frente à prefeitura contra projetos de Marchezan


MARIANA CARLESSO/JC
Para pressionar contra o pacote de Projetos de Lei (PLs) enviado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior (PMDB) à Câmara da Capital, que pretendem modificar o regime de benefícios ao funcionalismo municipal, servidores organizados pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) fizeram uma mobilização em frente ao Paço Municipal nesta quinta-feira à noite.
Originalmente programada para ser uma "caminhada luminosa", passeata com velas acesas até o Largo Zumbi dos Palmares, a manifestação acabou se encerrando, por volta das 19h30min, sem realizar a marcha, com cerca de 100 pessoas que entoavam a canção "Marchezito" - paródia da música Despacito -, que tocava em um equipamento de som.
Os municipários são contra a possibilidade de extinção da licença-prêmio, alteração da incorporação das parcelas que compõem a remuneração e a proposta que abre precedente para legalizar o parcelamento dos salários. A passeata integra calendário que começou na quarta-feira e que tem manifestações nos dias 30 e 31 de agosto, com entrega de panfletos e apitaços. A agenda vai até o dia 5 de setembro, com uma assembleia-geral que pode decidir pela greve.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia