Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de agosto de 2017. Atualizado às 16h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

16/08/2017 - 16h33min. Alterada em 16/08 às 16h52min

Grupo da Lava-Jato está prestes a fechar acordo com Funaro

Agência Globo
Depois de várias rodadas de negociações e de ajustes finais, investigadores da Lava-Jato e advogados estão próximos a um entendimento sobre o formato do acordo de delação premiada do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro. Investigadores consideraram razoável a proposta do operador e a tendência é que o acordo seja fechado ainda esta semana. Nas tratativas iniciais, o operador prometeu falar sobre mais de quarenta políticos, entre eles o presidente Michel Temer.
Pelo cronograma de trabalho colocado à mesa, as duas partes podem dizer sim ao acordo já e, a partir daí, providenciar os papéis para assinatura da colaboração até o início da próxima semana. A primeira reunião entre investigadores e advogados para a checagem ponto a ponto do acordo deveria ter acontecido ontem. Mas, não se sabe a razão, os advogados não participaram. Mesmo assim, a análise teve sequência e, nesta quarta-feira, o Grupo da Lava-Jato entende que já não existem mais obstáculos ao acordo.
Na semana passada, a Procuradoria-Geral da República rejeitou o pedido de acordo do ex-deputado Eduardo Cunha, suposto cúmplice de Funaro, por considerar a proposta dele omissa e inconsistente. Segundo um interlocutor do ex-deputado, a estratégia de Cunha é esperar um pouco mais e tentar um novo acordo, mais vantajoso, na gestão da futura procuradora-geral Raquel Dodge.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia