Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 22h37.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 15/08/2017. Alterada em 14/08 às 20h43min

O início da desburocratização

Fábio Dal Pont Branchi
Foi publicado, em 18 de julho, o Decreto nº 9.094/2017, que trouxe notáveis mudanças para desburocratizar a relação entre o poder público e os usuários dos serviços públicos. O decreto em questão unificou as informações da administração e órgãos públicos federais e trouxe a aplicação de soluções tecnológicas para melhorar o compartilhamento de informações.
Dentre as principais mudanças, destaca-se a obrigação do próprio poder público de buscar comprovantes de regularidade, atestados, certidões ou outros documentos comprobatórios que constem na base de dados da administração pública federal quando necessários para obtenção de algum serviço ou documento por parte do usuário. Não sendo possível a obtenção de tais documentos, uma declaração escrita do usuário suprirá a falta.
Outro aspecto importante é que a apresentação de documentos poderá ser feita por cópia autenticada, dispensado o documento original. Ainda quanto a esse aspecto, a autenticação de documentos poderá ser feita através de comparação da cópia com o documento original pelo próprio servidor a quem o documento deva ser apresentado.
É lugar comum e já há muito tempo tem sido demonstrado que quanto maior a burocracia estatal, maior é a corrupção e a economia informal; e, em contrapartida, menor é o investimento e nível de escolaridade.
O ranking "Doing Business", divulgado pelo Banco Mundial, mostra que o Brasil está em 123º lugar entre 190 países no que se refere à facilidade de fazer negócios, sendo um dos fatores principais para o péssimo posicionamento, a burocracia estatal.
O Decreto nº 9.094/2017, embora não resolva o problema em nosso País, representa um passo importante para o combate à burocracia que entrava as atividades do setor privado e afasta investimentos, notadamente estrangeiros, e para a alteração da cultura do cartorialismo formada no Brasil.
Advogado
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia