Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de agosto de 2017. Atualizado às 13h03.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

Alterada em 28/08 às 13h06min

Líderes europeus e africanos se reúnem em Paris para discutir imigração ilegal

Líderes da França, Alemanha, Itália e Espanha se encontram nesta segunda-feira com seus pares da Líbia, Níger e Chade para discutir meios de travar a imigração ilegal no Mar Mediterrâneo.
Como ponto-chave da rota de trânsito entre os países, a Líbia deve ser o foco das discussões, que serão conduzidas pelo presidente francês Emmanuel Macron em Paris. A Líbia será representada pelo primeiro-ministro Fayez Serraj.
Os líderes também planejam discutir cooperação em segurança, e os europeus terão conversas separadas focadas em questões da União Europeia.
Um alto funcionário diplomático da presidência da França que não quis ser identificado disse que o objetivo da reunião é produzir um "roteiro" que definirá ações prioritárias nos percursos migratórios.
Uma das questões a serem discutidas é o auxílio à Líbia e outros países da região do Sahel ao combate ao tráfico de pessoas. Outra seria o desenvolvimento de uma política de reassentamento para imigrantes que preencham os requisitos para obtenção de asilo.
Também estará em discussão estabelecer "missões de proteção" no Chade e no Nígera que seriam operadas pelas agências de imigração e refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) em cooperação com os países da União Europeia.
No mês passado, Macron comentou sobre a criação de centros na Líbia, Níger e Chade onde as pessoas que pretendem migrar para a Europa possam ser selecionadas para elegibilidade de asilo. O comentário gerou confusão e o gabinete teve de retirar o apontamento mais tarde.
Antes da reunião, a chanceler alemã Angela Merkel disse que quer mais apoio à guarda costeira da Líbia e uma "parceria de migração" com o Níger para inibir o tráfico de pessoas. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia