Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 18h57.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Alterada em 14/08 às 19h00min

Maduro pede a Constituinte que investigue oposição venezuelana

Os protestos contra Nicolás Maduro já deixaram mais de 120 mortos desde abril

Os protestos contra Nicolás Maduro já deixaram mais de 120 mortos desde abril


FEDERICO PARRA / AFP/ JC
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu à Assembleia Constituinte, que é pró-governo, que investigue a oposição por supostamente apoiar a ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que uma ação militar para resolver a crise venezuelana não está descartada.
Dirigindo-se a uma manifestação pró-governo, Maduro disse nesta segunda-feira que as observações de Trump foram motivadas pelo fracasso da campanha da oposição em tirá-lo do poder, após meses de protestos que deixaram mais de 120 mortos e centenas de feridos no país. Segundo Maduro, a Comissão da Verdade, criada pela Assembleia Constituinte, deve investigar os líderes da oposição como "traidores" por não falarem claramente contra os comentários de Trump.
A principal aliança opositora, a Mesa da Unidade Democrática (MUD), rejeitou o uso de ameaças militares para resolver a crise da Venezuela. No entanto, a declaração emitida no domingo não mencionou Trump e acusou Maduro de ceder a soberania da Venezuela e a riqueza do petróleo do país a Cuba.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia