Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de agosto de 2017. Atualizado às 19h30.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Alterada em 03/08 às 19h34min

Advogado de Trump diz que não há motivos para presidente estar sob investigação

O advogado disse que nenhuma nota divulgada pelo Wall Street Journal sugeria que Trump é investigado

O advogado disse que nenhuma nota divulgada pelo Wall Street Journal sugeria que Trump é investigado


NICHOLAS KAMM/AFP/JC/
John Dowd, advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que não há motivos para acreditar que o republicano esteja sob investigação federal, mesmo após uma reportagem do Wall Street Journal informar que o conselheiro especial Robert Mueller, que comanda as denúncias sobre a suposta interferência da Rússia nas eleições, esteja usando um grande júri como parte das investigações.
Em uma declaração à Associated Press nesta quinta-feira, Dowd afirmou que nenhuma informação divulgada pelo Wall Street Journal sugeria que Trump estava sob investigação.
Nesta quinta-feira, o jornal americano informou que Mueller estava usando um grande júri no caso. O grande júri, que teria começado o trabalho nas últimas semanas, é um sinal de que as investigações de Mueller devem avançar nos próximos meses. O porta-voz de Mueller, Joshua Stueve, se recusou a comentar o assunto. Grandes júris são ferramentas de investigação que permitem que procuradores exijam documentos, intimem testemunhas e entrem com acusações, caso haja evidência de crime.
O conselheiro especial do presidente, Ty Cobb, também disse que não conhece informações sobre um grande júri no caso Rússia. Ele afirmou que tais assuntos são tipicamente secretos e que a Casa Branca é favorável a qualquer instrumento que acelere a conclusão dos trabalhos "de forma justa".

 

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia