Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de agosto de 2017. Atualizado às 00h50.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 03/08/2017. Alterada em 02/08 às 20h08min

Projeto que impõe sanções a Coreia do Norte, Irã e Rússia é promulgado

Uma nova medida que impõe sanções contra o Irã, a Coreia do Norte e a Rússia foi assinada ontem pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. No entanto, o republicano ponderou ao dizer que o projeto do Congresso é "falho", por invadir a autoridade do Poder Executivo.
"Eu serei a favor de medidas para punir e deter o mau comportamento dos regimes desonestos de Teerã e de Pyongyang. Também apoio deixar claro que os EUA não irão tolerar interferências em nosso processo democrático, e que iremos, ao lado de nossos aliados e amigos, lutar contra a subversão e a desestabilização russas", argumentou em comunicado.
O presidente ressaltou que, apesar dos problemas do projeto, estava assinando "por conta da unidade nacional". "Representa a vontade do povo norte-americano de ver a Rússia tomar medidas para melhorar as relações com os EUA. Esperamos que haja cooperação entre os dois países em questões mundiais importantes para que essas sanções não sejam mais necessárias", argumentou.
Segundo Trump, o projeto envia uma mensagem clara ao Irã e à Coreia do Norte de que o povo norte-americano não irá tolerar o comportamento "perigoso e desestabilizador" dos dois países e que os EUA continuarão a trabalhar em estreita colaboração com aliados.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia