Porto Alegre, sexta-feira, 04 de agosto de 2017. Atualizado às 15h00.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Conselho Eleitoral da Venezuela nega fraude em votação

A presidente do Conselho Eleitoral Nacional da Venezuela, Tibisay Lucena, está descartando as alegações de que os números oficiais de participação dos eleitores na eleição da Assembleia Nacional no último domingo foram manipulados. Na quarta-feira (2), a empresa responsável pelo sistema eletrônico da eleição para a Assembleia Constituinte da Venezuela acusou o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) de fraudar o número de participantes da votação. O órgão eleitoral, dominado por aliados de Nicolás Maduro, havia afirmado que 8.089.320 venezuelanos foram às urnas no último domingo (30), o equivalente a 41,5% do eleitorado do país. A Smartmatic participou de todos os processos eleitorais na Venezuela desde o referendo para revogar o mandato de Hugo Chávez (1954-2013), em 2004. Também forneceu tecnologia para outros países, incluindo o Brasil. Após o CNE anunciar os números, a oposição e líderes internacionais críticos a Maduro desconfiavam dos resultados, considerando a rejeição popular à Constituinte e ao governo do chavista.
 

FOTO FEDERICO PARRA/AFP /JC