Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 13 de agosto de 2017. Atualizado às 22h52.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Notícia da edição impressa de 14/08/2017. Alterada em 13/08 às 22h07min

Reservas jogam pouco e Grêmio perde para Botafogo

Jogadores Bruno Rodrigo e Emerson Silva em lance durante a

Jogadores Bruno Rodrigo e Emerson Silva em lance durante a


J RICARDO/AGENCIA FREELANCER/JC
Caso vencesse a partida contra o Botafogo, disputada ontem no Rio de Janeiro, o Grêmio poderia vivenciar uma situação ilusória, mas quase encorajadora: ver a distância para o líder Corinthians cair para apenas cinco pontos, pelo menos até o próximo fim de semana, já que o time paulista está com uma partida atrasada. Porém, nem mesmo isso foi possível. Em um jogo de times reservas, o Botafogo foi mais eficiente e venceu por 1 a 0. Na tabela do Campeonato Brasileiro, a situação segue inalterada: o Tricolor é segundo, com 39 pontos, oito atrás dos corintianos.
Dentro do que era esperado, o Grêmio não levou nenhum titular a campo, poupando jogadores para a partida de ida contra o Cruzeiro, na quarta-feira, pelas semifinais da Copa do Brasil. Situação idêntica à dos donos da casa, que, no meio de semana, enfrentam o Flamengo pela mesma competição. Mas, desde os primeiros movimentos, foi o Botafogo quem tentou buscar o resultado, apostando em passes rápidos para desmontar a muralha defensiva gremista. O resultado veio rápido. Aos seis minutos, após desarme no meio-campo, Leandrinho entrou em diagonal, pelas costas da zaga, e deu um tapa na bola, na saída de Paulo Victor, para abrir o placar.
Depois do gol, o Grêmio deu sinais de estar desarrumado, em especial na defesa. Bruno Rodrigo e Bressan batiam cabeça na zaga, enquanto o setor de armação trocava passes improdutivos diante da defesa adversária.
No final da primeira etapa, uma falta sofrida por Lincoln à beira da meia-lua reanimou o Grêmio na partida. Na cobrança, Matheus Fernandes pulou com o braço estendido, a bola bateu em seu cotovelo e o árbitro Wagner Reway marcou o pênalti. Mas a esperança foi breve: Marcelo Oliveira bateu fraco, e Gatito Fernández se esticou todo para espalmar pela linha de fundo. Mais um pênalti desperdiçado na história recente do Tricolor.
O cenário pouco mudou na segunda etapa. Apesar de uma entrega maior em campo, as chegadas gremistas se resumiam a lances de bola parada, enquanto o Botafogo vinha forte no contragolpe - aos 19, Paulo Victor precisou salvar em jogada individual de Arnaldo. Renato Portaluppi tentou mudar o time, mas jogadores jovens como Dionathã e Patrick não conseguiram recolocar o Tricolor na partida. A briga gremista, cada vez mais difícil, para encostar no Corinthians terá novo capítulo domingo, na Arena, contra o Atlético-PR.
Botafogo 1 x 0 Grêmio
Gatito Fernández; Arnaldo (Emerson Santos), Marcelo, Emerson Silva e Gilson; Matheus Fernandes, Bruno Silva, Leandrinho (Victor Luis) e Leonardo Valência; Guilherme e Brenner (Fernandes). Técnico: Jair Ventura.
Paulo Victor; Léo Gomes, Bressan, Bruno Rodrigo e Marcelo Oliveira; Kaio, Jailson (Patrick), Lincoln (Jean Pyerre) e Fernandinho; Everton e Batista (Dionathã). Técnico: Renato Portaluppi.
Árbitro: Wanger Reway (Fifa/MT).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia