Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 13 de agosto de 2017. Atualizado às 22h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Série B

Notícia da edição impressa de 14/08/2017. Alterada em 13/08 às 22h08min

Zagueiros decidem contra o Londrina e Inter vence a quarta consecutiva

Cuesta e Klaus, duas vezes, marcaram os gols do time gaúcho

Cuesta e Klaus, duas vezes, marcaram os gols do time gaúcho


RICARDO DUARTE/INTER/JC
Depois de dias difíceis em boa parte do primeiro turno, era importante para o Inter manter a sequência de vitórias dos últimos jogos e começar com o pé direito a segunda metade da Série B. E os mais de 36 mil torcedores saíram satisfeitos do Beira-Rio. Em uma jornada de pouco brilho dos homens de frente, coube aos zagueiros colorados a tarefa de fazer os gols e garantir a vitória de 3 a 1 sobre o Londrina, no sábado. Consolidado no G-4, o Inter é segundo colocado com 36 pontos, três atrás do líder América-MG.
Após o jogo, o treinador Guto Ferreira comemorou o clima renovado de confiança entre os jogadores e a arquibancada. "A participação da torcida foi fantástica. Logo que nós chegamos, se a equipe tinha dificuldades, vinham as vaias. Hoje, nós não jogamos com 11. Jogamos com 36 mil. Com essa confiança, os jogadores vão se encontrando, e a equipe vai crescendo", acentua.
Pela primeira vez, o técnico pôde repetir a escalação de um jogo para o outro, e a pressão dos minutos iniciais deixou clara a disposição de resolver a partida o mais rapidamente possível. No entanto, o Londrina (que segue sendo o melhor ataque da competição, agora com 29 gols marcados) surpreendeu o Colorado com um sistema defensivo cerrado e quase sem erros. A marcação individual do volante Bidía sobre D'Alessandro era incansável, e o argentino teve muito pouco espaço para criar jogadas. Com os atacantes em jornada pouco inspirada, faltavam iniciativas individuais para furar o ferrolho paranaense, e a primeira etapa chegou ao fim quase sem conclusões a gol de lado a lado.
As coisas começaram a mudar logo no início do segundo tempo. E foi a primeira chance dos defensores colorados resolverem o jogo na linha de frente. Logo aos três minutos, em cobrança de falta pelo lado esquerdo ofensivo, D'Alessandro colocou na cabeça de Cuesta, que desviou fora do alcance de César para abrir o placar.
Na sequência, o Inter teve pelo menos mais três chances claras de gol, em uma pressão próxima do insuportável. Porém, como o segundo gol não saiu imediatamente, optou por diminuir o ritmo e valorizar a bola. E uma bobeada defensiva, aos 23 minutos da etapa final, resultou no empate do Tubarão, em um lançamento de Artur que encontrou Bidía livre para concluir.
Percebendo a equipe colorada confusa em campo após o gol sofrido, Guto Ferreira mudou. Saíram Willian Pottker e D'Alessandro para as entradas de Nico López e Camilo. Retomando o volume de jogo, o Inter logo reencontrou o caminho do gol. E foi pelo alto, uma vez mais. Em escanteio cobrado por Camilo, o zagueiro Klaus subiu bem e testou forte, para o chão, recolocando o time gaúcho na frente. Três minutos depois, a história se repetiu: escanteio de Camilo, cabeceio de Klaus e festa da torcida no Beira-Rio.
Agora, pela primeira vez na competição, o Colorado tem mais pontos como mandante do que como visitante, aliviando o clima de tensão que chegou a causar cenas de quebra-quebra no entorno do Beira-Rio. Em 10 jogos disputados em casa, o Inter tem cinco vitórias, quatro empates e uma derrota, somando 19 pontos - fora de casa, a equipe conquistou 17. Depois da quarta vitória consecutiva na Série B, o Inter só volta a campo no próximo sábado, contra o ABC, em Natal.
Internacional 3 x 1 Londrina
Danilo Fernandes; Claudio Winck, Klaus, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, D'Alessandro (Camilo), William Pottker (Nico López) e Eduardo Sasha (Gutiérrez); Leandro Damião. Técnico: Guto Ferreira.
César; Reginaldo, Gustavo, Edson Silva e Ayrton; Rômulo, Bidía (William Henrique), Jardel e Thiago Lopes (Rafael Gava); Artur e Carlos Henrique (Wellisson).Técnico: Cláudio Tencati.
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia