Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de agosto de 2017. Atualizado às 11h20.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Vôlei

Alterada em 02/08 às 11h22min

Brasil perde para a China na estreia na fase final do Grand Prix

Atual campeã olímpica, a China entrou em quadra com a base que lhe rendeu o título

Atual campeã olímpica, a China entrou em quadra com a base que lhe rendeu o título


FIVB/DIVULGAÇÃO/JC
Maior campeão da história do Grand Prix, com 11 títulos, o Brasil iniciou a sua participação na fase final da edição de 2017 com derrota. Nesta quarta-feira (2), a equipe dirigida por José Roberto Guimarães perdeu por 3 sets a 0 para a seleção da China, com parciais de 25/22, 25/17 e 29/27, em Nanquim.
A fase final do Grand Prix é disputada por seis seleções, divididas em dois grupos de três. Os dois primeiros colocados avançam às semifinais, portanto, o duelo desta quinta-feira, às 8h30min (horário de Brasília), com a Holanda, outra equipe do Grupo J, será determinante para o futuro da equipe na competição.
Atual campeã olímpica e algoz do Brasil nas quartas de final do Rio-2016, a China entrou em quadra com a base que lhe rendeu o título, enquanto Zé Roberto tem aproveitado o torneio para iniciar uma renovação do elenco da seleção. E isso parece ter pesado para o revés.
Diante da China, Zé Roberto escalou a seleção brasileira com Roberta, Tandara, Natália, Rosamaria, Adenízia e Carol, além da líbero Suelen. O treinador também promoveu as entradas de Macris, Amanda, Drussyla e Monique Pavão durante o confronto contra a equipe anfitriã da fase final do Grand Prix.
Tandara foi a principal pontuadora da partida, com 18 acertos, dois a mais do que a chinesa Zhu Ting e três do que Zhang Changning. Carol foi outro destaque brasileiro, com 14 pontos. Mas o que pesou mesmo para a derrota foi o excesso de pontos cedidos pelas brasileiras em erros - foram 21, contra apenas oito das adversárias.
Isso foi determinante, por exemplo, para o revés no primeiro set, quando o Brasil se manteve perto das chinesas no placar, mas deu nove pontos em erros, sendo derrotado por 25/22.
O segundo set foi ainda pior para as brasileiras. Com facilidade, as chinesas abriram 6/0 e 12/6. A equipe nacional esboçou uma reação, ficou a um ponto do empate após um ace de Rosamaria, mas depois sucumbiu, caindo novamente de rendimento nos momentos de definição do set, permitindo que as chinesas fizessem 25/17.
No terceiro set, o Brasil fez um confronto mais equilibrado com as campeãs olímpicas. A China liderou a maior parte da parcial, mas a seleção chegou a ter dois set points. Não os aproveitou e viu as chinesas fazerem a festa da torcida com a vitória por 29/27. Agora as brasileiras precisarão vencer a Holanda nesta quinta-feira para seguirem com chances de título.
No outro jogo desta quarta-feira pelo Grand Prix, válido pelo Grupo K, a seleção da Sérvia superou os Estados Unidos por 3 sets a 2, com parciais de 25/22, 25/17, 23/25, 18/25 e 15/11.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia