Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 16h24.

Jornal do Comércio

Expointer 2017

COMENTAR | CORRIGIR

Carnes

Notícia da edição impressa de 01/09/2017. Alterada em 31/08 às 20h56min

Rio Grande do Sul lança estudo sobre proteína animal

O governo do Estado reuniu entidades da cadeia agroindustrial de proteína animal, nesta quinta-feira, na Expointer, para entregar um amplo estudo sobre o setor. O trabalho pretende auxiliar no desenvolvimento do agronegócio e da economia do Rio Grande do Sul, identificando e buscando sanar as dificuldades que possam ampliar a competitividade no mercado nacional e internacional.
Os trabalhos, que tiveram duração de seis meses, foram coordenados pelo diretor-presidente do BRDE, Odacir Klein, em conjunto com outras secretarias e técnicos de entidades públicas e privadas. 
Os grupos de trabalho analisaram os setores de aves/ovos e suínos, lácteos, bovinos, ovinos e peixes, produzindo documentos específicos, indicando gargalos e soluções para seus setores. De acordo com dados levantados pelo estudo, o Brasil está entre os maiores produtores e exportadores mundiais de carnes de frango, de suínos e de bovinos, com destaque também para soja, açúcar, suco de laranja e café.
A expectativa é de que a produção brasileira de proteína animal deve continuar com acentuado crescimento nas próximas décadas, uma vez que o País reúne condições climáticas que garante baixo custo de produção primária, juntamente com técnicas de produção já consagradas e genética animal adaptada às diferentes regiões produtivas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia