Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 30 de agosto de 2017. Atualizado às 18h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Alterada em 30/08 às 18h48min

Faturamento da indústria de bens de capital cresce 1,7% em julho, segundo Abimaq

Agência Brasil
Em julho, o faturamento da indústria de máquinas e equipamentos subiu 1,7% em comparação com o mesmo mês do ano passado e caiu 1,6% em relação a junho, somando R$ 5,86 bilhões. O dado foi divulgado hoje (30) pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).
No acumulado entre janeiro e julho, o setor faturou R$ 37,9 bilhões, queda de 5,6% na comparação com os sete primeiros meses do ano passado. Segundo a Abimaq, o recuo pode ser explicado pela valorização do real.
Já o balanço comercial do setor teve um saldo negativo de US$ 427,6 milhões, o que representou recuo de 54,2% em relação a julho do ano passado e alta de 70,2% em comparação a junho. As exportações atingiram US$ 727 milhões em julho, crescimento de 20,2% em relação ao ano passado. Já as importações somaram US$ 1,15 bilhão, queda de 24,9% na mesma comparação.
No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a balança comercial da indústria de máquinas e equipamentos ficou negativa em US$ 2,4 bilhões, o que representou queda de 55% em relação ao ano passado.
O balanço divulgado nesta quarta-feira pela Abimaq mostrou queda de 5,6 % no número de empregados no setor na comparação com o ano anterior, somando 288,7 mil pessoas ocupadas. Segundo a Abimaq, isso significou a redução de 17,4 mil postos de trabalho. Desde 2013, informou a associação, o setor perdeu 91 mil postos de trabalho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia