Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 30 de agosto de 2017. Atualizado às 17h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Alterada em 30/08 às 17h50min

Grupo Boticário prevê abertura de 100 novas lojas em 2017

Desde o início deste ano, já foram abertos 44 novos pontos da marca

Desde o início deste ano, já foram abertos 44 novos pontos da marca


MARCELO G. RIBEIRO/ARQUIVO/JC
Maior empresa de franquias do Brasil, com mais de quatro mil pontos de venda, o Grupo Boticário prevê a abertura de 100 novas unidades em 2017. Foi o que afirmou na terça-feira (29) o presidente da companhia, Artur Grynbaum, no Latam Retail Show, evento do setor de varejo em São Paulo.
O número de aberturas previstas é equivalente ao do ano passado, quando a companhia também inaugurou 100 pontos de venda. Desde o início de 2017, já foram abertos 44 novos pontos, disse Grynbaum. Em nota, a empresa afirma que, entre as 100 novas unidades previstas para este ano, haverá tanto franquias como lojas próprias, divididas entre as quatro marcas do grupo: O Boticário, Eudora, Quem Disse, Berenice? e The Beauty Box.
Por "questões estratégicas", o Grupo Boticário não quis esclarecer as quantidades de franquias e lojas próprias por marca. Mas informou que as novas franquias serão "parte dos projetos de expansão" dos atuais operadores.
Grynbaum considerou que o desempenho da companhia tem sido superior ao da média do mercado de cosméticos. Em 2015 e 2016, a indústria de cosméticos teve quedas consecutivas de vendas da ordem de 6% e 9%, respectivamente. Já o Grupo Boticário cresceu 8,6% e 7,5% nesses mesmos anos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia