Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 30 de agosto de 2017. Atualizado às 08h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 30/08 às 08h06min

Bolsa de Tóquio supera Coreia do Norte e sobe com iene fraco

A Bolsa de Tóquio fechou em alta nesta quarta-feira (30), à medida que o iene voltou a se enfraquecer ante o dólar em meio à rápida diminuição de temores geopolíticos relacionados ao último teste de míssil da Coreia do Norte.
Ontem, ações no Japão e em outras partes da Ásia ficaram pressionadas depois que o regime norte-coreano lançou um míssil que sobrevoou o território japonês na noite de segunda-feira (pelo horário de Brasília).
O índice Nikkei encerrou os negócios de hoje com valorização de 0,74%, a 19.506,54 pontos.
Durante a madrugada, o iene se desvalorizou frente ao dólar, beneficiando papéis de exportadoras japonesas, como os das montadoras Toyota (+1%) e Mazda (+0,41%).
Para alguns analistas, a queda do Nikkei na sessão anterior (de 0,45%) foi relativamente moderada e o índice deveria ter demorado mais para se recuperar.
"O crescente risco de escalada geopolítica não está nem perto de estar precificado nos mercados japoneses", diz Jesper Koll, da WisdomTree Japan.
Na visão de Koll, a falta de "volatilidade extrema" pode se dever a um aumento em estratégias de negócios passivos e ao poder de estabilização do Banco do Japão (BoJ, o BC japonês), que responde por quase metade das compras líquidas de fundos de índices de ações (EFTs).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia