Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 29 de agosto de 2017. Atualizado às 23h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Construção civil

Notícia da edição impressa de 30/08/2017. Alterada em 29/08 às 21h39min

Construtoras pleiteiam maior fatia em obras

O estabelecimento de uma ação visando apoiar a maior participação das construtoras gaúchas na execução das obras resultantes dos novos investimentos atraídos pelo governo do Estado foi proposto pelo Sinduscon-RS ao secretário Márcio Biolchi, do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sdect), durante reunião-almoço realizada na sede da entidade, em Porto Alegre.
O presidente do sindicato, Ricardo Sessegolo, destacou que a absorção de uma fatia mais consistente destas obras pelas empresas locais permitiria a retenção no Estado do amplo efeito multiplicador em termos de geração de postos de trabalho, renda e arrecadação tributária.
Na oportunidade, ficou acertada a constituição de um grupo de trabalho para estudar o tema com a participação da secretaria e do Sinduscon-RS, tendo em vista o volume de novos investimentos atraídos pelo governo estadual.
Segundo balanço apresentado por Biolchi, desde 2016, eleva-se a 64 o número de empresas que já iniciaram suas operações com investimento de R$ 4 bilhões e a geração de 9.933 empregos diretos. Com obras em andamento, encontram-se 49 projetos, num investimento previsto de R$ 4,7 bilhões e a criação de 4.929 empregos. Aguardando pendências, há 119 projetos, cujos investimentos somarão R$ 29,6 bilhões, sendo gerados 12.493 empregos.
Além desses, há previsão de novos investimentos da ordem de R$ 2,0 bilhões decorrentes do projeto de expansão da GM, em Gravataí, e de fornecedores que já confirmaram interesse em se implantar no RS após o anúncio da decisão da montadora.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia