Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de agosto de 2017. Atualizado às 23h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Notícia da edição impressa de 29/08/2017. Alterada em 28/08 às 21h27min

Cautela na semana leva dólar a fechar em alta de 0,30%

Em dia de agenda fraca de indicadores e de eventos, o dólar operou praticamente próximo à estabilidade, em uma sessão de giro financeiro mais ameno no mercado futuro. Ainda assim, o viés de alta prevaleceu, e a moeda fechou em leve alta em meio à cautela do investidor com votações importantes nesta semana, entre elas, a do texto que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP) e o projeto que altera as metas fiscais de 2017 a 2020.
"O dólar operou praticamente estável à espera da votação dos destaques da TLP e a eventual apreciação pelo Senado. O mercado vê esse nível (R$ 3,15/R$ 3,16) como confortável no curto prazo", explicou o operador da corretora Multimoney, Cleber Alessie Machado Neto. No mercado à vista, o dólar terminou em alta de 0,30%, aos R$ 3,164.
O Índice Bovespa chegou a ensaiar um retorno ao terreno positivo neste início de semana, mas teve o fôlego limitado pela queda dos preços do petróleo e pelo movimento de realização de lucros das ações do setor financeiro. Diante do noticiário do dia escasso, mas com o mercado à espera de eventos importantes ao longo da semana, o índice alternou pequenas altas e baixas, e fechou em queda de 0,08%, aos 71.016 pontos. O volume de negócios ontem somou R$ 6,37 bilhões.
.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia