Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de agosto de 2017. Atualizado às 23h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 29/08/2017. Alterada em 28/08 às 20h51min

ERP tem que acompanhar dinamismo das empresas

Mangi explica o que é essencial

Mangi explica o que é essencial


GARTNER/GARTNER/DIVULGAÇÃO/JC
Ter uma estratégia de ERP que suporte a jornada das empresas rumo à adoção de novos modelos de negócios digitais é uma realidade, e não mais uma opção, aponta o estudo Market Guide for Core Financial Management Applications in Brazil, realizada pelo Gartner. Este é o primeiro mapeamento realizado pela empresa de pesquisa e aconselhamento em tecnologia do mercado de ERP no Brasil.
"Mais do que a adoção do velho pensamento de que o ERP é uma solução monolítica, o conceito de ERP pós-moderno traz luz à dificuldade em justificar investimentos relativamente altos em sistemas que não promovam a flexibilidade ou a dinâmica necessária para acompanhar o ritmo do negócio", aponta o diretor de Pesquisas do Gartner, Denis Torii.
O mapeamento mostra que a execução das estratégias de ERP passa, em algum momento, pela decisão de como atender às necessidades de gestão financeira, bem como avaliar as possibilidades de utilizar um ERP local, incluindo soluções em nuvem, seja ela pública ou privada.
"É essencial nesse processo de decisão analisar se a aplicação já possui as funcionalidades básicas que deveriam atender às capacidades de negócio do processo atual da empresa", analisa o vice-presidente de Pesquisas do Gartner, Luis Mangi.
Sem a intenção de cobrir todo o mercado de ERP no Brasil, que possui uma alta pulverização e um alto volume de players, a pesquisa focou os players de ERP cujas carteiras de clientes fossem essencialmente locais. A metodologia empregada na pesquisa não pressupõe avaliações detalhadas de produto, como no caso dos famosos Quadrantes Mágicos. Sendo assim, serve como ponto de partida para que os clientes entendam o panorama do mercado, sem necessariamente representar uma recomendação de top players.
Grupos que possuem presença global, independentemente do volume de clientes, foram excluídos da amostragem deste ano, por já estarem incluídos em uma outra pesquisa global denominada Market Guide for Core Financial Management Applications. Incluem-se nesse último caso companhias com origem estrangeira, como Microsoft, Oracle e SAP, bem como empresas de origem nacional, como a Totvs. A empresa vai apresentar a pesquisa completa em outubro, durante o Gartner Symposium, que acontece em São Paulo, dos dias 23 a 26.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia