Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de agosto de 2017. Atualizado às 10h57.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Alterada em 22/08 às 11h01min

PIB do México avança 1,8% no 2º trimestre na comparação anual

O Produto Interno Bruto (PIB) do México cresceu 1,8% no segundo trimestre, na comparação com igual período do ano passado, informou o Instituto Nacional de Estatísticas do país nesta terça-feira (22). Após ajustes sazonais, a economia mexicana avançou 0,6% no segundo trimestre ante o anterior.
O país registrou seu 16º trimestre consecutivo de crescimento, com a força do setor de serviços compensando a fraqueza da produção industrial. Os números divulgados se traduzem em uma taxa anualizada de crescimento de 2,3%, em linha com a estimativa preliminar do mês passado, mas marcam uma desaceleração ante o crescimento anualizado de 2,7% do trimestre anterior.
O aumento do emprego, apesar do impacto da crescente inflação sobre os salários, tem apoiado o setor de serviços, enquanto a produção industrial ficou estável.
A expansão de 1,8% do PIB em relação ao segundo trimestre de 2016 foi negativamente afetada pelo feriado da Páscoa em abril. Isso levou o crescimento do primeiro semestre a 2,3%, na comparação com igual período do ano passado.
Agora, a expectativa é que a economia mexicana desacelere nos próximos trimestres. Economistas do setor privado e o governo projetam expansão de 2% em todo o ano atual, de 2,3% em 2016.
"Até agora, o crescimento econômico tem sido melhor que o esperado, especialmente considerando-se a perspectiva pessimista no fim do ano passado e no início deste, sobretudo por causa dos riscos de eventual ruptura nas relações comerciais entre México e EUA", afirmou em nota o Banco Santander.
A primeira rodada de negociações sobre o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) terminou no domingo em Washington. A próxima rodada ocorrerá a partir de 1º de setembro na Cidade do México.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia