Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de agosto de 2017. Atualizado às 23h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 22/08/2017. Alterada em 21/08 às 21h43min

Brasil e Paraguai adotam medidas para modernizar a economia

Durante almoço com Cartes, Temer chamou o país vizinho de Portugal

Durante almoço com Cartes, Temer chamou o país vizinho de Portugal


ANTONIO CRUZ/ANTONIO CRUZ/ABR/JC
O presidente Michel Temer afirmou ontem, durante brinde em almoço oferecido no Itamaraty ao presidente do Paraguai, Horacio Cartes, que é otimista sobre o futuro das relações comerciais do Brasil com o Paraguai e que há convergência de prioridades entre os dois países. "Presidente Cartes e eu temos adotado medidas para modernizar a nossa economia", afirmou.
Diferentemente do presidente do Paraguai, Temer não citou a situação da Venezuela em seu discurso. O presidente brasileiro disse ainda que, em um "mundo marcado por tendências isolacionistas, a nossa resposta é cada vez mais integração".
"Somos povos que escolhemos o caminho da integração e, neste tópico, Brasil e Paraguai já fizeram muita coisa. A Hidrelétrica de Itaipu é um modelo mundial de eficiência e responsabilidade social", afirmou, destacando que, em 2016, a hidrelétrica registrou recorde de produção de energia.
Temer, que atualmente é o presidente também do Mercosul, disse ainda que o Brasil contribui, "há muitas décadas", para o desenvolvimento do Paraguai. "Hoje, dezenas de empresas brasileiras encontram, no país vizinho, um ambiente de negócios extremamente favorável para seus investimentos", ressaltou.
O presidente disse ainda que o aumento do comércio bilateral em 2017 não foi por acaso. "Estamos recuperando, aliás, o espírito original do Mercosul e nos abrindo mais para o mundo", afirmou, ressaltando que a negociação do bloco com a União Europeia entrou agora em etapa decisiva. Temer citou também a preocupação dos países com a segurança pública e disse que é cada vez "mais densa e bem-sucedida" a cooperação no combate ao crime organizado.
Apesar de o presidente Temer não ter citado, em sua fala, a crise que está sendo enfrentada pela Venezuela, o presidente do Paraguai aproveitou seu discurso para elogiar a atuação das chancelarias dos dois países, que têm trabalhado por uma solução pacífica para restaurar a democracia naquele país. "Me congratulo com a estreita coordenação que as respectivas chancelarias têm realizado, refletindo posturas firmes, que têm motivado vários países da região a propor medidas e soluções por meios pacíficos e políticos, que contribuam à desejada restauração da institucionalidade democrática de nossa República irmã".
No almoço, o presidente cometeu uma gafe. Ele se referiu ao Paraguai como Portugal. Em brinde, ele se referia à integração latino-americana quando disse sobre o apreço na relação entre "Brasil e Portugal".
"Na nossa Constituição, há um dispositivo especial que determina que toda e qualquer política pública do país se volte para a integração latino-americano e de nações. Portanto, quando fazemos isso, fazemos pelo apreço que temos na relação Brasil e Portugal", disse.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia