Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de agosto de 2017. Atualizado às 10h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 21/08 às 10h10min

Taxas futuras de juros rondam a estabilidade à espera de votações no Congresso

As taxas de juros futuros abriram esta segunda-feira (21), rondando a estabilidade, com os agentes em compasso de espera pela agenda da semana, que inclui a votação da reforma política no plenário da Câmara e também a da Medida Provisória 777, que trata da nova Taxa de Longo Prazo (TLP) para os contratos do BNDES.
Por volta das 9h45min, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 estava em 8,05%, mesma do ajuste de sexta-feira (18); enquanto a taxa do DI para janeiro de 2020 marcava 8,83%, igual à anterior; e a taxa do DI para janeiro de 2021 apontava 9,43%, de 9,42% na sexta.
Nesta manhã, o Relatório de Mercado Focus mostrou que os economistas do mercado financeiro elevaram levemente suas projeções para o IPCA neste ano, de 3,50% para 3,51%. Já a estimativa para o índice no ano que vem permaneceu em 4,20%.
Também foram mantidas as previsões para a Selic para o fim de 2017 e 2018. A projeção para a alta do PIB, por sua vez, continuou em 0,34% e 2,00%, respectivamente. O Focus mostrou ainda que a projeção para a cotação o dólar no fim de 2017 foi de R$ 3,25 para R$ 3,23. No caso de 2018, foi de R$ 3,40 para R$ 3,39.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia