Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 20 de agosto de 2017. Atualizado às 20h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Nafta

Alterada em 20/08 às 20h37min

EUA, Canadá e México concluem primeira rodada de negociação do Nafta

Estados Unidos, México e Canadá encerraram neste domingo (20), em Washington, a primeira rodada de discussões para renegociar o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta). A renegociação do Nafta é um dos principais objetivos do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, que já classificou o acordo de 23 anos como o pior da história.
Em comunicado conjunto, os três países disseram que especialistas abordaram dezenas de diferentes tópicos ao longo dos cinco dias de discussões, mas não deram mais detalhes. Confirmaram apenas que vão seguir o cronograma previsto para concluir a renegociação. Os países se reúnem novamente entre 1º e 5 de setembro no México, no fim de setembro no Canadá e em outubro nos EUA.
"O alcance e o volume das propostas durante a primeira rodada da negociação refletem um comprometimento de todos os três países com um resultado ambicioso e reafirmam a importância de se atualizar as regras que governam a maior área mundial de livre comércio", diz o comunicado.
Enquanto os EUA pretendem revisar o acordo para diminuir seu déficit comercial e trazer de volta empregos na indústria, Canadá e México, de modo geral, esperam apenas limitar as mudanças ao tratado. Na última quarta-feira, o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, disse que seu país não está interessado em um "simples ajuste" e buscaria mudanças ambiciosas.
Trump e outros críticos do Nafta alegam que o acordo estimulou muitas indústrias a se mudarem para o México em busca de mão de obra mais barata. Negociadores de Canadá e México concordam que o Nafta precisa ser atualizado, mas dizem que o acordo é uma história de sucesso econômico por ter ampliado o comércio entre os três países.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia