Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 22h37.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 15/08/2017. Alterada em 14/08 às 20h16min

Preço pago pelo quilo do suíno vivo é de R$ 3,87

A pesquisa semanal de cotação do suíno, milho e farelo de soja no Estado, feita ontem pela Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), apontou estabilidade no preço médio pago pelo quilo do suíno vivo ao produtor independente, que permaneceu em R$ 3,87 (mesmo valor da última segunda-feira).
O valor da saca de 60 quilos do milho está em R$ 26,33 (anterior R$ 26,00) e o farelo de soja em R$ 995,00 no pagamento à vista (anterior R$ 1.000,00) e em R$ 1.010,00 no pagamento com 30 dias de prazo (anterior R$ 1.020,00).
O preço médio na integração é de R$ 3,06. As agroindústrias e cooperativas apresentaram as seguintes cotações: Cooperalfa/Aurora, R$ 3,10; Cosuel/Dália Alimentos, R$ 3,04; Cotrijuí, R$ 3,00; Cooperativa Languiru, R$ 2,93; Cooperativa Majestade, R$ 3,05; Ouro do Sul, R$ 3,30; Alibem, R$ 3,00; JBS, R$ 3,10; e Pamplona, R$ 3,10.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia