Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 22h37.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 15/08/2017. Alterada em 14/08 às 20h51min

Exportações agrícolas gaúchas caem 20,1%

Embarques do complexo soja no Rio Grande do Sul totalizaram US$ 546,8 milhões no mês passado

Embarques do complexo soja no Rio Grande do Sul totalizaram US$ 546,8 milhões no mês passado


APPA - ASSCOM/APPA-ASSCOM/DIVULGAÇÃO/JC
Em julho de 2017, as exportações do agronegócio gaúcho somaram US$ 1 bilhão. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, ocorreram quedas no valor (-20,1%) e no volume (-23,2%) e elevação nos preços médios praticados (4%). Em termos absolutos, a redução nas exportações foi de US$ 265,4 milhões. Os dados foram divulgados ontem pela Fundação de Economia e Estatística (FEE).
Os principais setores exportadores no mês foram complexo soja (US$ 546,8 milhões), carnes (US$ 165,6 milhões), fumo e seus produtos (US$ 161,9 milhões), produtos florestais (US$ 40,9 milhões) e couros e peleteria (US$ 31,5 milhões). Comparativamente a julho de 2016, a queda no valor exportado foi condicionada, sobretudo, pelo complexo soja, produtos florestais e máquinas e implementos agrícolas (menos US$ 19,1 milhões, ou -80,3%).
Segundo o economista da FEE Sérgio Leusin Jr., "a queda nas exportações do complexo soja resulta da redução nos embarques do grão e, ainda que em menor grau, da queda nos preços médios (-14,2%)". No mês de julho, foi embarcado 1,5 milhão de toneladas de soja em grão, volume 21,0% menor que o comercializado em 2016.
O setor que apresentou maior elevação no valor exportado foi carnes, com acréscimo de US$ 12,0 milhões (alta de 7,8% em valor e 7,3% em volume). Desde a deflagração da Operação Carne Fraca, essa foi a primeira variação mensal positiva nas vendas externas em relação ao ano anterior. O crescimento das exportações de carnes se deve principalmente às vendas de carne suína (8,9% em volume e 30% em valor), tendo a Rússia como principal destino. O segundo maior crescimento nas exportações do agronegócio se verificou no setor de animais vivos e resulta do expressivo número de bovinos embarcados para a Turquia.
Os principais destinos das exportações do agronegócio gaúcho foram China (49,5%), União Europeia (12,0%), EUA (3,7%), Rússia (3,3%) e Taiwan (2,9%). Esses destinos concentraram 71,4% do valor das vendas externas em julho.
No acumulado de janeiro a julho de 2017, as exportações do agronegócio gaúcho somaram US$ 6,2 bilhões, valor 5,1% menor ao registrado em igual período de 2016. A dinâmica das vendas externas foi caracterizada por apresentar reduções no volume embarcado (-3,3%) e nos preços médios (-1,9%).
Embora os números agregados revelem queda nas vendas externas em 2017, vale destacar o crescimento nas exportações do complexo soja para a China, da carne suína para a Rússia, da carne de frango para o Egito e das partes de outras máquinas e aparelhos para colheita e debulha para a Argentina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia