Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 12h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

contas públicas

Alterada em 14/08 às 12h45min

Temer se reúne com ministros das áreas econômica, política e de infraestrutura

Agência Brasil
O presidente Michel Temer iniciou a segunda-feira (14) em reunião com ministros das áreas econômica, de infraestrutura e do núcleo político do governo, no Palácio do Planalto. A expectativa é que o governo anuncie ainda hoje a revisão da meta fiscal para este e o próximo ano.
Na semana passada, Temer fez reuniões com ministros e parlamentares para definir em quanto vai aumentar a meta de déficit primário. Na última quinta-feira (10), após um desses encontros no Palácio do Planalto, os ministérios da Fazenda e do Planejamento informaram que os debates seriam retomados hoje. Mas já no fim de semana o presidente esteve com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira.
O déficit primário é o resultado negativo nas contas do governo, desconsiderando os juros da dívida pública. Originalmente, a meta de déficit estava fixada em R$ 139 bilhões para este ano e em R$ 129 bilhões para o próximo. No entanto, a arrecadação ainda em queda e uma série de frustrações de receitas dificultaram o cumprimento da meta original.
Participam da reunião de hoje com o presidente os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, de Minas e Energia, Fernando Coelho, da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia