Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de agosto de 2017. Atualizado às 14h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

Alterada em 09/08 às 14h45min

Eletropaulo diz trabalhar para manter contratação perto do limite regulatório

O presidente da AES Eletropaulo, Charles Lenzi, reiterou nesta quarta-feira (9) que a companhia continuará trabalhando em alternativas para manter o nível de contratação da distribuidora perto do limite regulatório de até 105% da demanda, "de forma que não haja risco financeiro para a companhia ou de repasse para os consumidores", disse, durante teleconferência com analistas e investidores.
O longo do segundo trimestre deste ano, a Eletropaulo buscou negociações bilaterais com seus fornecedores de energia e participou de leilões do Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits (MCSD), o que resultou em uma diminuição em 1,7 ponto porcentual da sobrecontratação, para 104,2%, abaixo, portanto, do nível regulatório de 105% a partir do qual a companhia incorre em perdas porque assume o excesso de compras, sem repasse desses custos para a tarifa.
A mesma estratégia foi utilizada para as sobras de energia previstas para 2018, com redução de 2,2 pontos porcentuais, para 105,1%, muito perto do limite regulatório.
O diretor financeiro da companhia, Francisco Morandi, admitiu que essas descontratações de energia geraram um impacto positivo para a companhia, da ordem de R$ 70 milhões no Ebitda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia