Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de agosto de 2017. Atualizado às 20h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 07/08 às 20h30min

Dólar fica quase estável em dia de agenda fraca e discursos do Fed

O dólar rondou a estabilidade ante as principais moedas nesta segunda-feira (4), à medida que os investidores dissecaram discursos de dirigentes regionais do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).
No final da tarde em Nova Iorque, o dólar subia levemente para 110,73 ienes e o euro avançava para US$ 1,1795. O índice WSJ, uma medida da moeda americana contra outras 16 divisas, operava estável a 86,33.
Com a agenda americana de indicadores com poucos destaques, os investidores têm se concentrado nas falas de dirigentes de política monetária, em busca de sinais sobre o futuro dos juros nos Estados Unidos.
Nesta segunda-feira, o presidente do Fed de St.Louis, James Bullard, disse que os dados recentes de inflação "colocam em questão a ideia de que a inflação dos Estados Unidos está retornando de forma confiável à meta". Ele não tem poder de voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) este ano.
Investidores têm relatado o temor recente com a inflação americana, que deu sinais de enfraquecimento.
"Qualquer sinal de fraqueza do CPI (índice de preços ao consumidor, que sai sexta-feira) pode colocar uma pressão adicional no dólar", escreveram, em nota, analistas do Commonwealth Foreign Exchange.
Outro dirigente que discursou nesta segunda-feira foi Neel Kashkari, do Fed de Minneapolis. Ele voltou sua fala ao mercado de trabalho e disse que um aumento do salário mínimo poderia ajudar as pessoas que estão empregadas a terem um contracheque melhor, mas tornaria mais difícil que desempregados arrumassem novos postos. Kashkari tem poder de voto no Fomc este ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia