Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de agosto de 2017. Atualizado às 00h45.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 03/08/2017. Alterada em 02/08 às 22h08min

Investigação apura fraude em licitação para compra de uva

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em quatro cidades

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em quatro cidades


POLÍCIA FEDERAL/POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO/JC
Um desvio de recursos públicos com prejuízo à Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves, na serra gaúcha, foi alvo de operação deflagrada por Polícia Federal (PF), Ministério Público Federal (MPF) e Controladoria-Geral da União (CGU) na manhã de ontem. Batizada de Operação Liber Pater, a ação cumpriu nove mandados de busca e apreensão, e três de condução coercitiva, nas cidades de Bento Gonçalves, Farroupilha, Esteio e Vacaria.
Segundo a PF, a investigação apurou indícios de fraude em licitações para compra de matéria-prima e sobrepreço na aquisição de uvas, com indicativo de que alguns fornecedores sejam vinculados a dois servidores da Embrapa Uva e Vinho de Bento Gonçalves. Cinco obras de engenharia executadas também são apontadas pela CGU como superfaturadas, com prejuízos que ultrapassam R$ 700 mil.
A operação deflagrada buscou apreender documentos que esclareçam e confirmem os indícios já obtidos até o momento. Os crimes investigados são fraude à licitação, formação de quadrilha, peculato e falsidade ideológica. Além da apuração no âmbito criminal, o MPF de Bento Gonçalves conduz inquérito civil para a apuração de crimes de improbidade administrativa por parte dos empregados públicos envolvidos. O nome da operação faz alusão a Liber Pater, deus romano ligado ao vinho.
Em nota, a Embrapa afirmou que foi informada da ação no início da manhã de ontem e que os dirigentes da empresa estão acompanhando o desenvolvimento da operação e dando amplo acesso e apoio às investigações. A diretoria executiva da Embrapa determinou que gestores das áreas Jurídica e de Compras e Obras se deslocassem a Bento Gonçalves para acompanhar e auxiliar as investigações.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia