Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de agosto de 2017. Atualizado às 00h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 03/08/2017. Alterada em 02/08 às 22h07min

Governo federal libera R$ 100 milhões para o seguro rural

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou ontem a liberação de R$ 100 milhões para a execução do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) deste ano. Os recursos beneficiarão prioritariamente as culturas de verão e frutas.
A autorização da liberação do valor foi feita pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, e divulgada no Diário Oficial da União por meio da Portaria nº 250, de 1 de agosto de 2017. A medida vinha sendo negociada há dias pelo Mapa com a área econômica.
"Em tempos de cortes de orçamento e de dificuldades financeiras, isso reflete a força do Mapa, liderado pelo ministro Blairo Maggi, e a sensibilidade do presidente Michel Temer com relação à importância do agronegócio", salientou o secretário de Política Agrícola, Neri Geller.
Até o primeiro semestre, foram destinados R$ 90 milhões para o pagamento de apólices de seguro rural das culturas de inverno, principalmente milho 2ª safra e trigo. O valor contemplou mais de 15 mil produtores, em uma área superior a 1 milhão de hectares.
Para o próximo ano, o Ministério da Agricultura pediu um orçamento para o PSR de R$ 550 milhões, de acordo com o Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018, anunciado em 7 de junho deste ano, durante solenidade no Palácio do Planalto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia