Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 29 de agosto de 2017. Atualizado às 23h18.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 30/08/2017. Alterada em 29/08 às 20h40min

Frases e personagens

"O Brasil começa a ver uma retomada, e investidores estrangeiros têm acreditado nas empresas no País. Se nós, brasileiros, não estamos acreditando muito, o pessoal lá fora está acreditando uma barbaridade... Abrimos o capital do Carrefour Brasil e tinha gente que me dizia que eu era louco." Abilio Diniz, acionista global do Grupo Carrefour.
"Já teve um tempo em que eu achava que tinha que influenciar na política. Hoje, penso que empresário tem que ser empresário. Função de empresário é gerar emprego e riqueza para o País. Não está sendo cortado onde precisa cortar, aí acaba sobrando para a saúde, para a segurança... Esse, sim, é um tema que me preocupa muito." Também Abilio Diniz.
"Apresentei uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular dispositivos da reforma trabalhista sancionada em meados de julho pelo presidente Michel Temer (PMDB). Trechos da legislação - que alterou a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) - impõem, por exemplo, restrições ao acesso gratuito à Justiça do Trabalho para aqueles que não comprovarem renda suficiente para arcar com os custos de ações." Rodrigo Janot, procurador-geral da República.
"Entrei também com ação contestando o plano de seguridade dos parlamentares. Um sistema diferenciado de previdência para parlamentares e ex-parlamentares contraria os princípios republicanos da igualdade, da moralidade e da impessoalidade." Também Rodrigo Janot.
"O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao apresentar uma terceira denúncia, tem uma fixação em mim, talvez até um fetiche no meu bigode. Janot começou bem na Procuradoria, mas está deixando o cargo em 17 de setembro de forma melancólica." Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia