Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 00h03.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise no Planalto

Notícia da edição impressa de 27/07/2017. Alterada em 26/07 às 22h16min

Presidente recebe parlamentares indecisos e governadores

Em mais um dia de negociações e busca de votos a favor da rejeição da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o presidente Michel Temer (PMDB) recebeu mais dois deputados federais considerados indecisos, Sérgio Brito (PSD-BA) e Francisco Floriano (DEM-RJ), além do governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), e o ex-governador de Sergipe Albano Franco.
O presidente quer a ajuda também dos governadores aliados para garantir presença em massa no dia 2 de agosto em plenário, votando pela derrubada da denúncia contra ele. Ontem, o governo já comemorava a redução do número de parlamentares que não querem dizer como votam em plenário. Na lista apresentada ao presidente Michel Temer pelo deputado Beto Mansur (PRB-SP), o número de indecisos, que estava em 80, caiu para menos de 60.
Para uma nova checagem e reorganização na divisão de trabalho, uma reunião com os líderes do governo e alguns ministros políticos será realizada hoje, em Brasília, a princípio, comandada pelo chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB). Os ministros, líderes e vice-líderes que estiverem em Brasília participarão do encontro que, ao final, poderá ser fechado com uma conversa com Temer.
Além de cumprir sua agenda presidencial, Temer continua dedicado a dar telefonemas e receber em seu gabinete parlamentares que ainda dizem que não sabem como votar, assim como os que querem votar com o governo.
"Queremos presença grande no dia 2 de agosto para resolver esta questão", declarou Mansur, ao deixar o gabinete de Temer, onde se reuniu com os deputados que integram a tropa de choque em sua defesa. Nos encontros de ontem, Temer insistiu que não só os deputados e ministros continuem fazendo trabalho de garimpagem de votos, mas também pediu ajuda aos governadores.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia