Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de julho de 2017. Atualizado às 21h59.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

06/07/2017 - 20h38min. Alterada em 06/07 às 22h01min

Governo Temer 'parece insustentável', diz Renan Calheiros

Renan chegou a dizer por meio de interlocutores que Temer deveria ser o protagonista da escolha do seu sucessor para garantir uma "saída negociada"

Renan chegou a dizer por meio de interlocutores que Temer deveria ser o protagonista da escolha do seu sucessor para garantir uma "saída negociada"


FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL/JC
O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) avaliou que a situação do governo do presidente Michel Temer "parece insustentável". "Ninguém de bom senso deve dar as costas à saída constitucional", disse à reportagem, fazendo referência à eleição indireta.
Há algumas semanas, Renan chegou a dizer por meio de interlocutores que Temer deveria ser o protagonista da escolha do seu sucessor para garantir uma "saída negociada". Desta forma, ele conseguiria escolher o perfil do político que faria a "transição" até a eleição de 2018.
Desde o início do ano, Renan demonstrava desconforto com a participação do chamado centrão no governo (grupo formado por 13 partidos, como PSD e PSB) e de aliados do ex-deputado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba no âmbito da Operação Lava Jato.
"Eu sempre defendi a ampliação do papel do PSDB no governo, o PSDB deveria se posicionar como um contraponto ao grupo hegemônico da Câmara, mas Michel (Temer) nunca entendeu seu verdadeiro papel", criticou Renan.
Esta semana, o movimento pró-desembarque do governo começou a ganhar força entre os senadores do PSDB, considerado o principal aliado de Temer. O presidente interino da legenda, Tasso Jereissati (CE), declarou que a posição do partido "é cada vez mais clara" pela saída do governo.
Hoje, Tasso fez um aceno ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para uma eventual sucessão do presidente Temer. Sobre um cenário hipotético de transição, Tasso avalia que a equipe econômica do atual governo deveria ser mantida e que governo tem que ser o mais próximo possível do intocável em termos de postura ética".
Na noite desta quinta, Renan publicou um vídeo nas redes sociais em que afirma que o presidente "conseguirá a proeza de ser o refundador do caos". A divulgação da gravação, de 30 segundos, acontece uma semana após ele deixar a liderança do partido devido às constantes críticas que fazia ao governo e às reformas econômicas. No lugar de Renan, assumiu o senador Raimundo Lira (PMDB-RR).
"A ameaça de pagar o seguro-desemprego com FGTS, o Fies com fundo constitucional, a falta de dinheiro para reajustar o Bolsa Família e a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal sem recursos para serviços básicos demonstram que o governo Temer, mesmo badalado pelo mercado, vai aprofundar o abismo. Ele conseguirá a proeza de ser o refundador do caos", afirma o alagoano no vídeo.

 

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia