Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de julho de 2017. Atualizado às 19h10.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Alterada em 31/07 às 19h14min

Valor dos bônus da Venezuela cai após nova rodada de sanções dos Estados Unidos

O valor dos bônus da Venezuela caiu nesta segunda-feira no mercado secundário, após os Estados Unidos anunciarem sanções adicionais contra o país.
Mais cedo, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou sanções contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. De acordo com o governo americano, a votação para nova Constituinte neste domingo teve como missão "usurpar o papel constitucional da Assembleia Nacional, que foi democraticamente eleita".
De acordo com o UBS Wealth Managment, os preços dos bônus da Venezuela com vencimento em 2038 caíram 1,1%. As notas da Petróleos de Venezuela (PDVSA), que vencem em novembro, caíram 0,9%.
Os investidores temem que, além das sanções contra Maduro, a escalada da violência na Venezuela possa fazer com que Caracas deixe de pagar os US$ 725 milhões em dívida que vence nos próximos meses.
Alguns investidores alegam, no entanto, que as medidas do Departamento do Tesouro não atingem a principal fonte de receita da Venezuela: as compras de petróleo pelos Estados Unidos.
No comunicado de hoje, o Tesouro americano não citou a possibilidade de suspender as compras. Perguntado, o secretário Steven Mnuchin não descartou, mas não considerou, as chances de paralisação da importação de petróleo venezuelano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia