Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de julho de 2017. Atualizado às 22h37.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Afeganistão

Notícia da edição impressa de 18/07/2017. Alterada em 17/07 às 21h23min

Cresce o número de civis mortos em conflito com o Taliban, diz ONU

O Afeganistão registrou um crescimento no número de civis mortos no primeiro semestre de 2017 em função do conflito com o grupo radical Taliban, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado ontem. O documento contabiliza 1.662 pessoas mortas e 3.581 feridas no período. A maioria dos mortos (1.141) foi vítima de atentados provocados pelos extremistas, número 12% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.
Um dos atentados ocorreu na região diplomática de Cabul em maio e deixou 92 mortos, segundo a ONU, ou 150, de acordo com o governo afegão. Foi o ataque mais sangrento no país desde o início da intervenção dos EUA em 2001.
A missão da ONU no Afeganistão começou a fazer o censo sistemático de vítimas do conflito a partir de 2009, redigindo um relatório a cada três meses. Depois de uma queda em 2012 e um estancamento em 2013, o balanço voltou a crescer e, desde então, está em alta constante.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia