Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de julho de 2017. Atualizado às 13h13.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

transporte público

25/07/2017 - 16h40min. Alterada em 26/07 às 13h13min

Prefeitura quer limitar isenções e meia passagem de ônibus em Porto Alegre

Com a medida, idosos só terão isenção a partir de 65 anos

Com a medida, idosos só terão isenção a partir de 65 anos


ANA PAULA APRATO/ARQUIVO/JC
A prefeitura de Porto Alegre enviou à Câmara Municipal nesta terça-feira (25) um pacote com seis medidas que buscam restringir isenções e meia passagem no transporte público da Capital. Detalhando as medidas, o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, afirmou que, atualmente 36% dos usuários do transporte possuem algum tipo de isenção. A passagem é de R$ 4,05.
Entre os projetos, está a concessão de meia passagem apenas a estudantes cuja família tenha renda de até três salários mínimos. "Atualmente, 72% das famílias recebem até este valor, então a maioria seguirá contemplada pelo benefício", garantiu Soletti, em entrevista à Rádio Gaúcha. Já os professores perderão o passe escolar. A isenção para os idosos também terá mudanças, passando a valer apenas a partir dos 65 anos, seguindo a lei nacional, e não mais também na faixa de 60 a 64 anos. 
As medidas também preveem a desobrigação da manutenção do cobrador dentro do coletivo em casos específicos, como na operação entre 22h e 4h, aos sábados, domingos e dias de passe livre. Ainda assim, Soletti diz que isso vai depender do perfil da linha, e que cada caso será estudado separadamente. 
A vida útil dos ônibus para rodar será amplia de 10 para 12 anos para veículos comuns, e de 10 para 13 para os modelos articulados. Segundo Solleti, se os benefícios não forem reduzidos, a passagem pode chegar a R$ 4,50 em 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Carolina 25/07/2017 22h23min
E vai baixar o preço da passagem por acaso? nE tirar o cobrador em dia de passe livre é coisa de quem não pega ônibus mesmo, porque é um dia de ônibus mega lotados.