Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de julho de 2017. Atualizado às 00h09.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

clima

Notícia da edição impressa de 19/07/2017. Alterada em 18/07 às 21h00min

Fasc nega falta de transporte para abordagem noturna à população de rua de Porto Alegre

Suzy Scarton
Nos dias em que a Capital registra as temperaturas mais frias do ano, os moradores de rua são os que mais sofrem. Para ajudá-los, a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) realiza um serviço de abordagem social noturna, chamando-os para se recolherem nos abrigos municipais.
No entanto, a representante sindical da Fasc no Sindicato dos Municipários (Simpa), Veridiana Farias Machado, afirma que a prefeitura retirou de funcionamento o veículo que faz o serviço. Além disso, o telefone e os elevadores do local não estariam funcionando. "Não estamos conseguindo acolher cadeirantes nem moradores alcoolizados, que são justamente os que correm mais risco de morrer de frio na rua", relata. Ainda de acordo com ela, o pagamento do aluguel do prédio onde se localiza o albergue, no bairro Floresta, está atrasado.
A prefeitura negou as acusações. Segundo a assessoria da Fasc, o transporte para a abordagem noturna funciona normalmente, assim como o telefone - a reportagem do Jornal do Comércio ligou para o Albergue Municipal e foi atendida por uma funcionária. Os elevadores estão em manutenção e devem voltar a funcionar em breve.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia