Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de julho de 2017. Atualizado às 10h58.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Estradas

05/07/2017 - 08h34min. Alterada em 05/07 às 10h59min

PRF reduz serviços e fecha unidades devido à falta de dinheiro

Serão suspensas escoltas, uso de aeronaves e patrulhas em estradas e fechadas unidades

Serão suspensas escoltas, uso de aeronaves e patrulhas em estradas e fechadas unidades


PRF/DIVULGAÇÃO/JC
Sem dinheiro, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) comunicou nesta quarta-feira (5) que vai cortar serviços e tamanho da estrutura da operação. O órgão sofre contingenciamento orçamentário imposto pelo decreto 9.018, de março deste ano. Segundo a direção da PRF, as medidas adotadas buscam gerar menos impacto possível na atividade "finalística" do órgão.
Os limites de recursos afetam a aquisição de combustível, manutenção e diárias dos policiais. Com isso, serão suspensas a escolta de cargas superdimensionadas e em rodovias federais e as atividades aéreas (policiamento e resgate aéreo), serão reduzidos os deslocamentos terrestres de viaturas em patrulhamento e desativadas unidades operacionais. A assessoria da PRF diz que não há definição se haverá fechamento de postos no Estado. 
Além disso, o horário de funcionamento das unidades administrativas será alterado, sendo feito entre as 9h e às 13h. O comando da PRF diz que busca com a área de orçamento do governo federal a ampliação de verbas. 
Outro setor que sofre com a restrição der orçamento é a Polícia Federal. Desde a semana passada, a emissão de passaportes está suspensa. É possível encaminhar o documento, mas não há prazo para retirada, com exceção de casos de maior urgência. Nessa terça-feira (4), comissão no Congresso aprovou a suplementação de verbas para reativar a emissão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia