Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 12h38.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Basquete

Alterada em 27/07 às 12h39min

CBB anuncia César Guidetti como técnico interino da seleção masculina

Folhapress
A CBB (Confederação Brasileira de Basquete) confirmou nesta quinta-feira (27) a contratação de César Guidetti como técnico da seleção brasileira masculina de basquete. Ele assume o cargo interinamente, segundo a entidade.
Guidetti, 47, terá a missão de dirigir a equipe na Copa América. Na primeira fase, o Brasil está no Grupo A, que será disputado entre os dias 25 e 27 de agosto, em Medellín, Colômbia. Além da equipe da casa, a seleção vai enfrentar México e Porto Rico.
Comandante do Pinheiros nas últimas duas edições do NBB, Guidetti vai fazer ainda nesta quinta sua convocação, que deve ter predomínio de jogadores jovens, com alguns veteranos complementares.
"Estamos diante de uma grande oportunidade para realizarmos um trabalho de renovação digno do basquete brasileiro. A expectativa é que a seleção brasileira jogue com muita intensidade sem perder a organização e sempre deixando tudo de melhor que temos na quadra", afirmou o técnico.
Como assistentes, estão relacionados Bruno Savignani, treinador do Brasília, e Felipe Santana, o Filé, do Palmeiras. A preparação física fica por conta de Bruno Nicolaci Costa, do Vasco. O ex-jogador Renato Lamas está confirmado como supervisor da equipe masculina. Remanescente da gestão de Carlos Nunes, que presidiu a CBB entre 2009 e 2017, Vinicius Alvarez é o coordenador.
"Este é um momento de renovação e construção para que uma nova geração possa começar a se preparar para substituir a atual, que possui grandes jogadores, com valor internacionalmente reconhecido", afirmou Guy Peixoto, presidente da CBB desde março deste ano.
A Copa América deste ano, que não vale como torneio pré-olímpico, conta com 12 seleções, divididas em três grupos. No Grupo B estão Argentina, Canadá, Ilhas Virgens e Venezuela. O C conta com Estados Unidos, Panamá, República Dominicana e Uruguai.
Apenas o primeiro colocado de cada chave vai avançar à fase final, marcada para Córdoba, na Argentina -com o país-sede já garantido nessa etapa.
Ainda neste ano a Fiba (Federação Internacional de Basquete) dará início a seu novo calendário para a modalidade. O destaque é a inauguração de um sistema de eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019, que será disputada na China.
A primeira bateria de jogos das Américas está programada para os dias 23 e 24 de novembro. No site oficial, porém, a entidade ainda não confirma a presença da seleção brasileira.
Lembrando que a CBB ficou suspensa de competições internacionais entre novembro de 2016 e junho deste ano. A punição atingiu seleções de base, clubes e até árbitros.
Ainda que tenha revogado a suspensão, a federação internacional condicionou sua liberação ao cumprimento de diversos itens que dizem respeito a governança, reestruturação financeira, desenvolvimento das competições de base e do basquete feminino, entre outros.
A CBB deve apresentar à Fiba garantias nesse sentido.
Até o momento, em seu calendário, a entidade internacional lista 15 seleções nacionais e uma 16ª "ainda a ser anunciada".
"A esta nova comissão técnica e aos novos valores se juntarão profissionais experientes e atletas já tarimbados para a participação nas 'janelas' das eliminatórias, com o objetivo de obter a desejada classificação à Copa do Mundo", disse Guy Peixoto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia