Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de julho de 2017. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Série B

Notícia da edição impressa de 12/07/2017. Alterada em 12/07 às 08h15min

No Castelão, Inter se sente em casa e bate o Ceará

Jogadores comemoram após William Potkker (encoberto) abrir o placar

Jogadores comemoram após William Potkker (encoberto) abrir o placar


RICARDO DUARTE/INTER/JC
O Inter parece mesmo se sentir melhor jogando fora de casa na Série B do Campeonato Brasileiro. Se no Beira-Rio o desempenho tem frustrado a torcida, não se pode dizer o mesmo quando a equipe comandada por Guto Ferreira atua longe de Porto Alegre. Ontem, no Castelão, em Fortaleza, os gaúchos venceram o Ceará por 2 a 0. E o melhor: com bom futebol, especialmente no primeiro tempo. A vitória, porém, não foi suficiente para ingressar no G-4, já que os times que estavam logo acima na tabela também ganharam.
Dois fatores foram decisivos para o sucesso colorado na partida de ontem. Primeiro: o time finalmente mostrou eficiência do meio para a frente. Segundo: o Ceará esteve longe de jogar na retranca, dando espaço para os visitantes atacarem. Assim, na primeira oportunidade clara, aos 11 minutos, o Inter conseguiu abrir o placar. Edenilson foi à linha de fundo e cruzou na medida para William Pottker, que, sem goleiro, só teve o trabalho de tocar para dentro das redes.
O time da casa ficou desnorteado, e o segundo gol não demorou a acontecer. Aos 19, Uendel acertou a trave, em bola que desviou na zaga. Após o escanteio, Cláudio Winck chutou de longe, mas Éverson defendeu. No rebote, Nico López mandou de primeira, no ângulo, sem chance para o goleiro. Dois minutos depois, Potkker quase marcou o terceiro, mas a bola explodiu no travessão. Os donos da casa só foram ameaçar a meta de Danilo Fernandes no final do primeiro tempo, com Pedro Ken, de cabeça, e em um chute perigoso de Rafael Carioca.
Na etapa final, o Ceará partiu para a pressão, geralmente em chutes de fora da área ou em lances de bola parada, mas a defesa colorada segurou as pontas. Nos contra-ataques, o Inter poderia ter feito o terceiro, só que Winck e Diego desperdiçaram cara a cara com o goleiro.
Após a partida, o atacante Elton acusou o zagueiro Victor Cuesta de chamá-lo de "macaco" durante uma discussão. Ele disse que iria falar com a direção do Ceará para ver se tomaria alguma providência.
A próxima chance de entrar no G-4 será no próximo sábado. Mais uma vez fora de casa, o Inter enfrenta o CRB, em Maceió.
Ceará 0 x 2 Internacional
Éverson; Tiago Cametá, Luiz Otávio, Rafael Pereira e Rafael Carioca; Raul (Elton), Richardson, Ricardinho e Pedro Ken (Lelê); Roberto (Cafu) e Magno Alves. Técnico: Marcelo Chamusca.
Danilo Fernandes; Claudio Winck, Klaus, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, Felipe Gutiérrez (Fabinho) e D'Alessandro (Juan); Nico López (Diego) e William Pottker. Técnico: Guto Ferreira.
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia