Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de julho de 2017. Atualizado às 18h48.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

basquete

Alterada em 03/07 às 18h52min

Nenê renova com o Rockets e Leandrinho é dispensado pelo Phoenix Suns

Nenê renovou por mais três temporadas

Nenê renovou por mais três temporadas


JAVIER SORIANO/AFP/JC
A segunda-feira foi movimentada para dois brasileiros na NBA. O pivô Nenê, de 34 anos, acertou sua renovação de contrato com o Houston Rockets por mais três temporadas, enquanto o armador Leandrinho, de mesma idade, foi dispensado pelo Phoenix Suns.
Nenê vai receber US$ 11 milhões (cerca de R$ 36,5 milhões) na totalidade do contrato. A permanência do brasileiro na franquia do Texas ficou ameaçada depois que uma regra da liga impediu o vínculo por quatro temporadas. A NBA não permite que um jogador firme contratos de longa duração que terminem após o aniversário de 38 anos.
O Rockets ofereceu US$ 10 milhões (R$ 33,5 milhões) por três anos, proposta rejeitada por Nenê. A franquia então aumentou o valor em mais US$ 1 milhão (R$ 3,3 milhões) e conseguiu segurar o pivô, que despertava o interesse de outras equipes.
Com isso, o jogador, que é o brasileiro há mais tempo na NBA - está na liga desde 2002 -, será importante no elenco do técnico Mike D'Antoni. A equipe se reforçou com o armador Chris Paul e pinta como uma das favoritas na Conferência Oeste.
Se Nenê renovou, Leandrinho se despediu do Phoenix Suns. A franquia do Arizona optou pela dispensa do brasileiro para abrir espaço para trocas como terceiro time envolvido e adquirir escolhas de draft.
O armador, que voltou na temporada passada ao time que o selecionou no draft em 2003, tinha mais um ano de contrato para receber US$ 4 milhões (R$ 13,2 milhões). O acordo, porém, tinha uma cláusula de rescisão por opção da equipe para o segundo ano.
A dispensa, no entanto, não significa o fim da linha para Leandrinho na NBA. Como agente livre, o armador pode assinar com qualquer equipe por um contrato mínimo de veterano. O brasileiro foi campeão com o Golden State Warriors em 2015 e pode entrar novamente no radar da franquia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia