Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de julho de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 01/08/2017. Alterada em 31/07 às 22h29min

Exportação de madeira, papel e celulose sobe

Só os embarques de celulose somaram 6,8 milhões de toneladas

Só os embarques de celulose somaram 6,8 milhões de toneladas


HIAGO REIS DOERFER/HIAGO REIS DOERFER/SUPRG/DIVULGAÇÃO/JC
O setor de produção de madeira, papel e celulose do Brasil aumentou em 7,3% as exportações no primeiro semestre deste ano, alcançando faturamento de US$ 4 bilhões. Só os embarques de celulose somaram 6,8 milhões de toneladas de um total processado de 9,5 milhões. As vendas externas de celulose superaram em 6,8% o volume de 2016, e 42% referem-se às importações feitas pela China, que ampliou as encomendas em 25,5%.
Os dados foram divulgados ontem pela Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), entidade que representa empresas da cadeia produtiva de árvores plantadas, reunindo 60 companhias e nove entidades estaduais vinculadas às lavouras de eucaliptos, pinus e outros espécies florestais, bem como aos itens beneficiados (painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa).
O balanço indica que foram exportados, de janeiro a junho deste ano, 597 mil metros cúbicos de madeira, 34,8% acima de igual período de 2016 com uma receita de US$ 137 milhões, valor 25,7% maior do que no primeiro semestre do ano passado.
Já as vendas externas de papel cresceram a um ritmo menor na comparação com a celulose e a madeira, com taxa de apenas 1%.
Os principais parceiros comerciais de papel e de painéis de madeira são os países latino-americanos, que juntos geraram um faturamento de US$ 593 milhões em compras de papel, com alta de 10%; e US$ 75 milhões em painéis de madeira, total que representa aumento de 27,1%.
As vendas de papel ao mercado interno encolheram 1,6%, fechando os primeiros seis meses do ano com 2,6 milhões de toneladas. Houve recuo ainda de 1,6% na comercialização doméstica de painéis de madeira, que atingiu movimento de 3,1 milhões de metros cúbicos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia